Apóstolo que prometeu imunizar contra o coronavírus dará depoimento à Polícia Civil

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

O líder da Igreja Catedral Global do Espírito Santo, apóstolo Sílvio Ribeiro, prestará depoimento à Polícia Civil na próxima terça-feira (10), após a ampla repercussão negativa de um anúncio feito pela denominação onde foi prometido a imunidade contra o coronavírus.

“O poder de Jesus contra o coronavírus: venha porque haverá unção com óleo consagrado no jejum para imunizar contra qualquer epidemia, vírus ou doença”, dizia um banner do evento que teve como título “O poder de Deus contra o Coronavírus”.

Foram feitas denúncias contra a igreja ao Ministério Público e do Conselho Regional de Medicina (Cremers) do Rio Grande do Sul, e como resultado foi aberto um inquérito para investigar se o líder religioso estaria praticando o crime de “charlatanismo”.

A responsável pela investigação é a delegada Laura Lopes, titular da 4ª Delegacia da Polícia Civil de Porto Alegre, que deverá ouvir não apenas Ribeiro, como a sua esposa, Maria Ribeiro, segundo informações do Gaúcha ZH.

“Eu peço perdão”
Diante das acusações, Sílvio Ribeiro marcou uma entrevista coletiva para tentar se explicar diante da imprensa, realizada no último dia 03. Na ocasião, ele argumentou que foi infeliz no uso das palavras ao anunciar o culto, mas também defendeu que a fé em Deus pode, sim, imunizar contra as doenças.

“Eu estou sendo perseguido porque estou obedecendo a palavra de Deus. Eu vou mostrar o que está escrito (leu para as jornalistas um trecho do capítulo 16 do livro de Marcos) . Deus promete essa imunidade para quem tem fé”, disse ele, segundo o Coletivo Bereia.

“Se eu soubesse, realmente, que essa declaração fosse causar tanta polêmica ou pânico, ou agredir a medicina e os médicos que dão a sua vida para salvar o ser humano, eu jamais teria falado isso, mas deixo bem claro que somente falei em defesa da minha fé, em defesa da Palavra de Deus”, completou Ribeiro.

Por fim, o apóstolo concluiu a coletiva ressaltando que não houve a intenção da sua parte, ou da igreja, de prejudicar a população. “Eu peço perdão a todos e digo que a nossa intenção com esse banner ou vírus foi a melhor de todas, levar fé, esperança e amor para as pessoas, jamais outra coisa”, disse ele.

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS