Bancada evangélica publica carta em repúdio à campanha da Burger King

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

A Frente Parlamentar Evangélica (FPE) no Congresso Nacional, conhecida como Bancada Evangélica, publicou uma carta de repúdio à campanha publicitária LGBTQIA+ do Burger King Brasil por “utilizar da imagem, da inocência e da ingenuidade de nossas crianças para agredir valores bíblicos e eternos, com o intuito de confundir famílias”.

Na carta, a grupo de políticos religiosos diz que a “Burguer King Brasi se utilizou da imagem, da inocência e da ingenuidade de nossas crianças para agredir valores bíblicos e eternos com o intuito de confundir famílias”.

A bancada evangélica diz ainda que a empresa Burger King “propõe… criar uma nova formatação familiar que afronta a Bíblia sagrada”, e diz ainda que a empresa quer “fazer com que o homem e a mulher não se diferenciem mais pelo sexo, mas sim pelo gênero”

“Trata-se de uma tentativa covarde para corromper as famílias, confundir pais e interferir na formação de menores, atacando princípios morais e éticos que devem ser preservados.”, continua a carta.

Por fim, a FPE diz que se compromete a continuar “vigilante” e a não se calar diante de tentativas de “ataques à fé e [aos] valores” cristãos.

A polêmica campanha da Burger king

A rede de fast food Burger King voltou a causar polêmica nas redes após a divulgação de uma propaganda em que usa crianças para “ensinar” aos adultos o que é a comunidade LGBTQIA+. O mote da campanha é a pergunta: “Não sabe explicar o que é LGBTQIA+ para as crianças? Aprenda com eles”.

Em seguida, a peça publicitária coloca crianças ao lado dos pais “explicando” a eles o que significa a sigla e o que elas acham sobre as pessoas que pertencem à esta comunidade.

Crítica de pastores

A campanha também foi condenada por pastores nas redes sociais. Com uma imagem propondo um boicote de cristãos ao Burguer King, o pastor Lucinho sugeriu nesta quinta-feira (24): “Não toque nas nossas crianças que nós boicotamos mesmo!”

O pastor Claudio Duarte destacou que tudo é feito “pela publicidade, visibilidade e ganho econômico” nesta sexta-feira (25). “Pra mim isso não tem haver com justiça e sim com vingança. Escutem o grito da dor. Deus abençoe e tenha misericórdia de todos.”

Para o pastor Josué Gonçalves, há um movimento patrocinado pelas grandes empresas que visa promover uma “ideologia que é antifamília”.

“Agora de forma explícita estão usando a inocência das nossas crianças para promover a ‘ideologia de gênero’, que é uma afronta à família tradicional e à Palavra de Deus, onde diz que o Criador fez ‘macho e fêmea’”, disse ele nesta sexta.

“Nós cristãos não somos homofóbicos, respeitamos a decisão que os adultos tomam quanto a sua opção sexual, porém, reprovamos usar as crianças para propagar aquilo que Deus reprova”, destacou.

Veja o polêmico vídeo:

Folha Gospel com informações da Frente Parlamentar Evangélica

OUTRAS NOTÍCIAS