‘Barroso fala tanto em ciência e se consultava com João de Deus’

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Fachada do edifício sede do Supremo Tribunal Federal - STF

O presidente Jair Bolsonaro criticou, durante entrevista à rádio Guaíba, nesta quarta-feira (7), as contradições das decisões de ministros do Supremo Tribunal Federal sobre casos polêmicos. Como exemplo, ele citou o julgamento no STF que decidiu que amantes não têm direito a pensão por morte.

Ao comentar o caso, Bolsonaro citou os ministros que votaram a favor das amantes: Cármen Lúcia, Rosa Weber, Edson Fachin, Marco Aurélio e Luís Roberto Barroso.

– Um ministro como o Barroso… Pelo amor de Deus! O que esse cara faz no Supremo Tribunal Federal? Ele quer destruir a nossa democracia. […] O Barroso fala tanto em ciência, mas se consultava com o [médium] João de Deus – disparou Bolsonaro.

Em seguida, o presidente também citou as ministras Rosa Weber e Cármen Lúcia.

– Rosa Weber [votou]! Mulher, meu Deus do Céu! Cármen Lúcia… Mulher votando a favor de amante – observou.

Ainda segundo Bolsonaro, “é direito” dos ministros votarem conforme suas convicções, no entanto, não significa que seja ético.

– É como um advogado… Eu não sou advogado, mas se eu fosse não defenderia pedófilo. É direito do advogado defender um pedófilo, mas eu, como advogado, por questão de ética, não defenderia – comparou.

Pleno News Foto- Marcello Casal JrAgência Brasil

 

OUTRAS NOTÍCIAS