Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 06/04/2019

Baterista de black metal é preso por incendiar igrejas na Nova Zelândia

Nos anos 1990, uma série de ataques a igrejas feitos por entusiastas de bandas de black metal foram registrados na Noruega, causando perplexidade na sociedade à época. Agora, um novo episódio de intolerância religiosa levou à prisão de um músico.

 

Jacob Lowestein, 28 anos, baterista de uma banda de black metal, foi preso na Nova Zelândia por incendiar dois templos da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, popularmente conhecida como mórmon.

 

O músico, que integra três bandas (Igni, Secularity e Oblivion Dawn) foi preso pela Polícia da cidade de Christchurch – a mesma onde ocorreu um massacre de muçulmanos em uma mesquita – e terá de responder a dois processos.

 

Segundo o jornal NZ Herald, o baterista teria incendiado o primeiro templo no dia 11 de março, e o segundo no dia 13 do mesmo mês. Além disso, ele responde a um processo por furto de veículo.

 

Apesar dos danos pelo fogo, uma das igrejas não foi destruída totalmente, mas a outra terá de ser demolida e reconstruída. Até ser preso, Lowenstein trabalhava como operador de máquinas que cortam madeira na cidade, além de se dedicar à música, segundo o portal Uol.

 

O caso virou manchete internacional porque a Nova Zelândia vive um período de tensão após o atentado que matou mais de 50 muçulmanos na mesquita.

 

Gospel +