Versículo do dia
Até isto procede do Senhor dos Exércitos, porque é maravilhoso em conselho e grande em obra.

Bíblia é queimada durante protesto

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Manifestantes queimaram uma Bíblia e a bandeira americana na cidade de Portland, em Oregon, provocando indignação após semanas de manifestações violentas nos Estados Unidos.

Por mais de 60 dias, manifestantes do Black Lives Matter entraram em conflito com agentes federais da cidade. Os dois meses de protestos violentos chamaram a atenção nacional, já que por um lado as autoridades continham os manifestantes com gás lacrimogêneo, e por outros, os civis respondiam com armas próprias — como fezes, água sanitária, tijolos ou baterias.

As manifestações da noite de sexta-feira (31) foram amplamente pacíficas, sinalizando o fim da violência, após um acordo feito por agentes federais para permitir que os protestos sejam controlados pelas autoridades locais.

Mas logo após a meia-noite, os manifestantes foram filmados queimando a Bíblia e a bandeira americana do lado de fora do tribunal federal, que tem sido um ponto de tumultos após a morte de George Floyd em maio.

O filho do presidente, Donald Trump Jr., reagiu às imagens fazendo uma crítica ao Antifa, um movimento de extrema esquerda. “Agora vamos para a fase do incêndio de livros”, disse ele no Twitter. “Tenho certeza de que o Antifa não representa o que eles dizem. Se tirar a parte anti do nome fica perfeito”.

“Este é quem eles são”, disse o senador republicano do Texas, Ted Cruz, ao comentar o episódio no Twitter.

Billy Williams, procurador do Oregon nos EUA, afirmou que as manifestações violentas são “atividade criminosa”. “É preciso fazer uma distinção entre protestos legais e constitucionalmente protegidos, e isso. Isso é ilegal. E as pessoas, seja você um oportunista, um antagonista, um agitador ou um anarquista, chamam isso pelo que é”, disse em julho.

Em anonimato, um agente do Departamento de Segurança Interna dos EUA descreveu as cenas como “totalmente surreais” e descreveu como tem sido os atos de violência dos protestantes.

“Eles jogam coquetéis molotov caseiros, tentam incendiar muros, tentam cortar e furar a proteção que cobre as paredes de vidro, gritando VITRIOL até que suas vozes fiquem roucas. Quando o pessoal do Departamento de Segurança Interna aparece, eles jogam garrafas de água congelada, enlatados, tinta e gasolina. Eles tentam lançar lasers de alta potência em nossos olhos, o que pode causar danos permanentes. Eles cantam e pintam com spray ‘os federais vão para casa’ como um de seus slogans, e isso poderia ser facilmente acontecer. Se eles pudessem provar que não destruiriam o tribunal, o pessoal do Departamento de Segurança Interna iria para casa. É simples assim”, disse o agente.

O incêndio foi apagado mais tarde pelos membros do Mães Unidas pelo Black Lives Matter, que apagaram as chamas com garrafas de água e pisaram nas brasas, de acordo com o KOIN 6, uma emissora local de televisão afiliada da CBS em Portland.

Fonte: Guia-me com informações de New York Post e Washington Examiner

OUTRAS NOTÍCIAS