Burger King é criticada por campanha usando crianças para defender LGBTs

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

A rede de fast food Burger King voltou a causar polêmica nas redes após a divulgação de uma propaganda em que usa crianças para “ensinar” aos adultos o que é a comunidade LGBTQIA+. O mote da campanha é a pergunta: “Não sabe explicar o que é LGBTQIA+ para as crianças? Aprenda com eles”.

Em seguida, a peça publicitária coloca crianças ao lado dos pais “explicando” a eles o que significa a sigla e o que elas acham sobre as pessoas que pertencem à esta comunidade.

“É quando um menino gosta de um menino”, diz um garoto. Já uma menina afirma que a sigla significa que “todo mundo pode amar todo mundo”. Uma outra criança fala sobre a família: “eu nunca tive uma madrasta, só quando a mamãe falou pra mim que ela namorava com ela [madrasta], aí que eu percebi que eu tinha uma madrasta”.

A campanha, que foi ao ar nesta quarta-feira (23), chegou a gerar uma onda de reações negativas. Até ontem à noite, haviam cerca de 5 mil curtidas e mais de 15 mil descurtidas. Porém, nesta madrugada, inexplicavelmente, as curtidas saltaram para mais de 30 mil. As descurtidas estão em 34 mil.

Entre os comentários, muitos internautas citavam versículos da Bíblia.

“Jesus deixou bem claro – Mateus 16,8 – Mas, qualquer que escandalizar um destes pequeninos, que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar. Abram seus olhos!”, dizia um comentário com cerca de 4 mil curtidas.

Em outros, um usuário criticava a rede por colocar crianças para falar sobre o tema da diversidade sexual.

“Respeitar qualquer ser humano é uma obrigação, agora fazer isso com crianças é forçar a barra demais da conta, é lamentável! Deus tenha misericórdia dos nossos pequeninos!”, escreveu uma mulher.

“Querem lutar pelo seu direito que lutem, mas estão parecendo a Síria colocando as crianças na frente da luta. Vergonhoso.”, disse outro internauta.

Veja o polêmico vídeo:

Crítica de pastores

A campanha também foi condenada por pastores nas redes sociais. Com uma imagem propondo um boicote de cristãos ao Burguer King, o pastor Lucinho sugeriu nesta quinta-feira (24): “Não toque nas nossas crianças que nós boicotamos mesmo!”

O pastor Claudio Duarte destacou que tudo é feito “pela publicidade, visibilidade e ganho econômico” nesta sexta-feira (25). “Pra mim isso não tem haver com justiça e sim com vingança. Escutem o grito da dor. Deus abençoe e tenha misericórdia de todos.”

Para o pastor Josué Gonçalves, há um movimento patrocinado pelas grandes empresas que visa promover uma “ideologia que é antifamília”.

“Agora de forma explícita estão usando a inocência das nossas crianças para promover a ‘ideologia de gênero’, que é uma afronta à família tradicional e à Palavra de Deus, onde diz que o Criador fez ‘macho e fêmea’”, disse ele nesta sexta.

“Nós cristãos não somos homofóbicos, respeitamos a decisão que os adultos tomam quanto a sua opção sexual, porém, reprovamos usar as crianças para propagar aquilo que Deus reprova”, destacou.

Fonte: Guia-me e Pleno News

OUTRAS NOTÍCIAS