Caso Natura: Justiça aceita denúncia de transfobia contra o pastor Silas Malafaia

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Uma denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro contra o pastor Silas Malafaia foi aceita pela Justiça do estado. Os promotores acusam o líder da ADVEC de transfobia e homofobia, por conta de críticas feitas ao transexual Thammy como personagem de uma campanha da Natura para o Dia dos Pais.

O juiz Marcello de Sá Baptista, da 14ª Vara Criminal, aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público, que acusa o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo de praticar o crime de transfobia e homofobia.

Na ocasião, Malafaia usou redes sociais pra reprovar a campanha publicitária da Natura: “Colocar uma mulher pra fazer papel de homem. Uma afronta aos valores cristãos”, disse o pastor.

De acordo com informações do jornalista Nelson Lima Neto, colaborador da coluna de Ancelmo Góis em O Globo, Malafaia teria recusado uma proposta de acordo para encerrar o caso, e agora precisará se defender da ação criminal.

Essa denúncia feita pelo MP partiu de uma representação criminal feita pela Associação LGBTI+ e pelo Grupo Arco-Íris, em julho de 2020, afirmando que Malafaia teria cometido “deliberadamente, dolosamente e conscientemente o crime de transfobia, tipo penal reconhecido pelo STF”.

Na ocasião, a representação da militância LGBT foi recebida pelo procurador-geral do MP-RJ, José Eduardo Gussem.

Quando a notícia da representação veio a público, Malafaia comemorou: “Obrigado por toda a promoção […]! Associação LGBT vai entrar na justiça contra mim por transfobia […] estou cheio de medo desses palhaços […] essa gente odeia liberdade de expressão. Liberdade de expressão para eles é apoiar todo tipo de lixo moral que eles apoiam”.

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS