Versículo do dia
Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos).

Centro de Zoonoses evita reprodução descontrolada de cães e gatos

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

CASTRA__O DE C_ES E GATOS - FOTO VALDENIR LIMA (37)_1Cerca de 350 cães e gatos – machos e fêmeas – foram esterilizados nos meses de abril e maio, no Centro de Controle de Zoonoses de Feira de Santana. Os números projetam que as cirurgias impedirão que mais de quatro mil cães e gatos nasçam até o final do ano – em média, a cada gestação nascem seis animais. Os procedimentos são gratuitos.

 

Numa gata, por exemplo, a gestação é de apenas dois meses. De acordo com a veterinária Mirza Cordeiro, que coordena o CCZ, o animal entra em novo cio, que tem duração média de seis dias, um mês depois do parto.

 

Geralmente o primeiro cio das cadelas aparece no sétimo mês de vida e nas gatas entre sete e 12 meses. As esterilizações têm como objetivo controlar estas populações, especialmente a de animais de rua, que se reproduzem sem controle e não são imunizados, podendo causar problemas de saúde entre eles e nos humanos.

 

Preferencialmente são levadas à mesa de cirurgia animais cujos donos são de baixa renda ou recolhem animais nas ruas. A solicitação do serviço deve ser feito durante as vacinações, quando o CCZ faz o cadastramento.

 

A cirurgia, diz Mirza Cordeiro, é tecnicamente segura e rápida e tem algumas vantagens – não apenas evitar a procriação – como a prevenção de doenças, redução da agitação e a agressividade (no caso dos cães) e prolonga a vida. Nos machos são removidos os testículos e nas fêmeas são retirados os ovários e útero.

 

O ideal é que a cirurgia, dizem os veterinários, seja realizada ainda no primeiro ano de vida. Para as fêmeas, entre o segundo e o quarto meses, quando o organismo ainda não sofreu os efeitos do primeiro cio.

OUTRAS NOTÍCIAS