Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 25/06/2019

Colbert cobra do governador a duplicação da rodovia Feira-São Gonçalo

“A BA 502, que liga Feira de Santana a São Gonçalo dos Campos e também a Conceição de Feira, uma das mais importantes da nossa região, precisa urgentemente de duplicação. É um dever do Governo do Estado”. A declaração é do prefeito Colbert Martins Filho.

 

Sobre o assunto, o prefeito de Feira postou uma mensagem em suas redes sociais, este fim de semana, logo após a tragédia ocorrida naquela rodovia, com a morte de oito pessoas. A seguir, a íntegra do pronunciamento de Colbert Filho:

 

“Recebi com muita tristeza a notícia sobre a tragédia causada pelo acidente envolvendo uma van de passageiros e um caminhão de carga animal, na estrada que liga Feira de Santana ao município de São Gonçalo dos Campos, a BA-502. Acidente que matou oito pessoas e deixou outras três hospitalizadas.

 

Nesse momento de dor, deixo os meus sentimentos aos amigos e familiares das vítimas e as minhas orações para todos que estão em recuperação. Estive no sepultamento de algumas dessas vítimas.

 

Quero fazer uma cobrança ao Governo do Estado: É preciso, urgentemente, duplicar a BA-502, essa perigosa e mal cuidada rodovia que liga Feira de Santana a querida vizinha cidade de São Gonçalo dos Campos.

 

Esta estrada tem causado dezenas de mortes nos últimos anos.

 

A duplicação da BA 502 foi alvo de muitas promessas, inclusive em campanhas eleitorais. Até hoje não cumpridas.

 

O Governo da Bahia está cogitando investimento de bilhões de reais na ponte Salvador Itaparica.

 

Mas na verdade, precisa priorizar rodovias onde vidas estão se perdendo, como a Feira São Gonçalo.

 

Senhor governador, para buscar a eficiência de gestão que a publicidade do governo do Estado tanto prega, é preciso cuidar melhor da vida dos baianos.

 

O povo de Feira, de São Gonçalo e cidades vizinhas lhe faz este apelo. Neste momento de dor, exigimos que o Estado cumpra com a sua obrigação, para que mais vidas não sejam perdidas. O povo quer uma resposta.

 

Secom