Versículo do dia
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus.

Com 98% de chance de morte cerebral, bebê se recupera após “muita oração” da família

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Deus opera de diferentes formas para testemunhar o seu amor e misericórdia para com seus filhos, mesmo quando às circunstâncias escapam do controle humano. A família Boeira Pena sabe disso, visto que seus membros precisaram encarar o desafio de confiar incondicionalmente no Senhor após um bebê de apenas um ano e nove meses tomar um tiro na cabeça.

O episódio ocorreu no bairro São Luiz Gonzaga, em Passo Fundo. O bebê chamado Erick estava sentado no colo da sua mãe no banco de trás de um veículo modelo Gol, quando foi atingido por um tiro na cabeça.

A criança foi socorrida o mais rápido possível e levada para o Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital São Vicente de Paulo. O estado de saúde do pequeno Erick era tão complicado que os médicos não esperavam que ele conseguisse sobreviver.

O bebê precisou passar por duas cirurgias, até apresentar os primeis sinais de superação. Atualmente Erick apresenta algumas sequelas do trauma cerebral provocado pelo projétil, mas a sua sobrevivência já é considerada um milagre pela família.

“Antes de acontecer, ele já falava papai, mamãe, titio. Agora, só chama pelo mano. Nos reconhece, está reagindo bem. Foi um milagre. Os médicos nos davam 98% de chance de morte cerebral e ele está firme e forte”, conta o pai, o gesseiro Robson Boeira, 32 anos, segundo o Gaúcha Zh.

A rotina da família mudou após o incidente, mas apesar disso, Robson explica que Deus sempre esteve e continua presente, fortalecendo a todos. O desafio de encarar algo tão traumático e preocupante tem tornado os parentes de Erick mais fortes.

“Tudo mudou, tínhamos uma vida normal. Não sei nem como explicar. Só Deus para nos dar força no dia a dia. Mas conforme o Erick vai reagindo, também vamos melhorando. Ter o teu filho são, correndo e acontecer uma tragédia dessas, é muito difícil”, disse o pai.

“A família toda está mais aliviada, é muito bom ver ele se mexendo. Compramos uma bolinha para ele ter no hospital. É um processo lento, mas graças a Deus ele está melhorando”, desabafa.

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS