Conselho de Comunidades Negras indica título de cidadão feirense a treinador do Flu de Feira

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Natural do município de Entre Rios, mas desde criança morando em Feira de Santana, o treinador do time do Fluminense de Feira, Eduardo Silva Sales, o Edu Silva, como é conhecido no mercado do futebol, foi indicado pelo Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento de Comunidades Negras e Indígenas para receber o título de Cidadão Feirense, concedido pela Câmara Municipal.

 

A indicação foi feita através do 1º secretário e chefe de Atividades Esportivas da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, José Fernando dos Santos Silva, o Irmão Fernando.

 

A notícia foi passada a Edu Silva, que esteve acompanhado de sua esposa Helge Nolasco Silva, na manhã desta quarta-feira, 08, na Casa dos Conselhos, pela presidente do COMDECNI, Lourdes Santana.

 

“Por ele ser brasileiro, nordestino, baiano e residir em Feira há muito tempo, nós o convidamos para um bate-papo extraoficial. Vamos oficializar ao presidente do Fluminense, deputado Everton Carneiro (Tom) a nossa indicação e solicitar ao presidente da Câmara Municipal, José Carneiro e ao vereador Cadmiel Pereira, para em parceria, conceder o título de Cidadão Feirense a Edu Silva”, destacou Lurdes.

 

Para Edu Silva, o título de Cidadão Feirense será motivo de orgulho e alegria para ele e sua família. E garantiu que continuará contribuindo com a cidade não só no mercado do futebol, mas na formação de cidadãos através do esporte. “O debate sobre intolerância racial é uma questão que a gente precisa realmente fortalecer cada vez mais. Entendo que devemos, cada vez mais, estarmos fortalecidos em relação ao ser humano, independente de cor ou raça, o cidadão deve ser respeitado”, enfatizou o treinador.

 

Palestras de cunho educativo e social para os atletas

 

O Conselho de Comunidades Negras também se disponibilizará ao Fluminense de Feira para um trabalho de conscientização, junto a atletas de todas as categorias do clube, através da realização de palestras de cunho educativo e social.

 

“A gente tá vendo no Brasil e no mundo casos de violência contra as mulheres, como foram os casos Jeanzinho, ex-goleiro do Bahia, a repercussão negativa do anúncio da contratação do goleiro Bruno, junto ao próprio Flu de Feira. Então, surgiu a ideia do COMDECNI liderar um trabalho de paletras de conscientização aos atletas e comissão técnica do Fluminense”, explica Irmão Fernando.

 

Ele ressalta que este trabalho tem o objetivo de agregar ao que o clube já desempenha junto aos seus atletas, através da comissão técnica. “A maioria é composta por jovens em formação. Embora o técnico já faça esse trabalho de conscientizar a turma quanto ao respeito que se deve ter ao seu próximo, mulheres, homens, negros, índios, homossexuais e quem quer que seja; o Conselho de Comunidades Negras tece essa ideia e fará contato com o presidente do Fluminense neste sentido”, destacou Irmão Fernando. O advogado Albertone Amorim também participou da reunião no CONDECNI.

 

Secom

OUTRAS NOTÍCIAS