Versículo do dia
Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele.

Convenção das Assembleias de Deus organiza coleta de assinaturas para criar partido político próprio

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

download (1)Ciente do potencial de seu capital político, a Assembleia de Deus está articulando a criação de um partido próprio para abrigar os líderes evangélicos que já tenham carreira política e os que aspirem mandatos eletivos.

 

A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) é quem está à frente do projeto, a fim de dar legitimidade e união às diversas correntes políticas que existem nos variados ministérios assembleianos.

 

O processo de coleta de assinaturas já foi iniciado, e o responsável por conduzir o projeto é o pastor Lélis Marinho, coordenador do Conselho Político da CGADB.

 

“Existe um pensamento em nos concentrarmos em um único partido, para que a nossa ação seja mais direcionada e eficaz. Como a lei eleitoral cria restrições para a migração de partido, as assinaturas para se criar uma nova sigla estão sendo providenciadas”, disse Marinho, de acordo com informações do jornal Valor Econômico.

 

O pastor destacou ainda que apesar de Marina Silva (PSB) ser uma missionária assembleiana, ela não acatou prontamente as demandas apresentadas pela CGADB, dando mostras de que valorizará o cumprimento de propostas contidas em seu programa de governo.

 

“Vejo a ascensão de Marina como um avanço. É uma possibilidade de diálogo com o governo dentro de outro ponto de vista, mas com ela ainda estamos estabelecendo um diálogo. É curioso, mas temos que buscar interlocução com uma de nossas seguidoras. Ela não assumiu compromissos”, pontuou Marinho, antes de ponderar que muito provavelmente a candidata terá o voto dos fiéis da denominação: “A tendência do voto assembleano ir para ela é completamente natural. Somos a favor do Estado laico, mas um governante precisa ser alguém que tema a Deus. A falta de crença faz toda a diferença”, concluiu o pastor.

 

Em todo o Brasil, a Assembleia de Deus congrega diversos pastores que tentam a carreira política e muitos acabam eleitos, como é o caso do pastores Marco Feliciano (PSC-SP) e Eurico (PSB-PE), que são os sacerdotes pentecostais eleitos deputados federais que tivera maior repercussão na mídia no último ano.

 

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS