Versículo do dia
Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.

Corrupção da Fifa nasceu no Brasil, diz jornalista em CPI

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

unnamed (5)Em depoimento na CPI do Futebol, nesta quinta-feira (3), o jornalista britânico Andrew Jennings, da BBC, afirmou que o esquema de corrupção presente no futebol mundial nasceu no Brasil. “Começou na década de 70 quando João Havelange se elegeu para a presidência da Fifa. Joseph Blatter foi seu principal assessor e deu continuidade ao modus operandi”.

 

Ele disse ainda que as investigações do FBI e da polícia suíça “estão na metade e muita gente ainda vai acabar atrás das grades”. Ainda em seu depoimento, Jennings sugeriu que Blatter tem ligações com a máfia russa e ironizou assessores da CBF que acompanham seu depoimento pessoalmente na Comissão. “Fiquem até o fim, voltem para o Rio, fechem aquela entidade e a reabram redemocratizada para a sociedade brasileira”.

 

Andrew Jennings é o autor dos livros que serviram de base para as investigações do FBI (polícia federal norte-americana), que levaram este ano diversos dirigentes do futebol mundial à prisão, entre eles o ex-presidente da CBF, Jose Maria Marin.

 

Em seu depoimento, Jennings afirmou que a Polícia Federal e o Ministério Público brasileiro deveriam estar mais envolvidos em investigar a corrupção no futebol. Ele defendeu também que essas instituições colaborassem com as polícias suíça e norte-americana. “Essa pode ser a caixa de Pandora que pode mudar o futebol aqui e na América do Sul”, disse.

 

O jornalista ressaltou que a má gestão do futebol prejudica a sociedade em diversos aspectos, inclusive socioeconômicos. Para ele, é “absurdo” por exemplo, o fato da Seleção Brasileira quase nunca disputar partidas em nosso território, com a exceção dos jogos eliminatórios para a Copa do Mundo.

 

“É preciso investigar a razão disso aí. Sua seleção se apresenta no mundo todo e quase nunca por aqui. Por que isso?”, indagou.

 

Jennings defendeu que as investigações também devem se dar sobre os contratos de transmissão e marketing desses jogos, assim como dos aviões e hotéis que são utilizados como estrutura no deslocamento do time. Ele ainda sugere um olhar minucioso sobre os contratos ligados à organização da Copa do Mundo no ano passado.

 

Verdade Gospel

OUTRAS NOTÍCIAS