Cristão é interrogado por baixar Bíblia na China

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Foto- Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Embora ainda seja seguro para a maioria dos cristãos na China baixar uma Bíblia para uso pessoal, em algumas regiões houve um aumento do monitoramento do uso da internet pela população. Nessas áreas, os cidadãos podem ser investigados se baixarem material “questionável”.

Parceiros locais relataram que, apenas nestas áreas isoladas, seguidores de Cristo receberam sentenças de 12 a 20 anos por baixar materiais cristãos ou se conectar de qualquer forma com cristãos estrangeiros.

A China pode estar usando táticas como um aviso para outros, pois em julho de 2021 marca 100 anos desde a fundação do Partido Comunista Chinês. Isso também pode ser parte da crescente pressão que está sendo aplicada a todas as religiões para se alinhar ao socialismo chinês.

O cristão Jason Wu*, que vive em uma dessas áreas, foi detido e agredido durante um interrogatório, mas foi liberado após as autoridades não conseguirem nenhuma prova de tais “crimes”. “Eu só tentei me concentrar em Deus, orando sem parar no meu coração até que tudo acabasse. Eu experimentei uma alegria inexplicável direto de Deus e, incrivelmente, eu não senti medo”, compartilha o cristão.

A China ocupa o 17º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2021, onde os seguidores de Jesus são perseguidos e pressionados por amigos, familiares e autoridades do país para abandonarem a fé. Wu e os outros cristãos da região continuam orando para que a situação na comunidade não afete mais cristãos e o monitoramento pare, dando continuidade à propagação da palavra de Deus.

Nome alterado por segurança.

Fonte: Portas Abertas

 

OUTRAS NOTÍCIAS