Culto é invadido e cristãos são multados pela polícia no Cazaquistão

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

No início do mês de janeiro, a polícia invadiu uma reunião de adoração em Oral, noroeste do Cazaquistão, e multou Dmitry Isayev e Vladimir Nelepin por realizarem a reunião sem aprovação do Estado. Alguns dias depois, outro cristão, Nikolai Novikov, foi multado por distribuir literatura cristã na rua.

Não é a primeira vez que Novikov enfrenta acusações e, como membro do Conselho Batista de Igrejas, ele se recusa a pagar as multas. A igreja não registra ou paga multas, argumentando que não deve ser punida por exercer o direito à liberdade religiosa. Em 2020, pelo menos 16 cristãos cazaques foram multados por atividades religiosas ilegais, incluindo liderar uma igreja não registrada e distribuir e vender literatura cristã.

Caminhando para a mudança?
As atividades religiosas são fortemente controladas pelo governo do Cazaquistão, sob o pretexto de acabar com a ameaça do extremismo islâmico. Apenas igrejas aprovadas pelo Estado são permitidas, e as comunidades protestantes são particularmente visadas por serem consideradas “estrangeiras” e uma ameaça ao sistema político. Outros grupos, como as Testemunhas de Jeová e certas seitas muçulmanas também enfrentam perseguição.

Em 2020, no entanto, a Comissão dos EUA para a Liberdade Religiosa Internacional, um órgão bipartidário do governo, observou que as coisas começaram a mudar no Cazaquistão. Não só houve uma diminuição nos processos administrativos envolvendo crimes religiosos em 2019, como o governo arquivou a implementação de novas restrições com base em uma lei religiosa restritiva de 2011. O governo também começou a se envolver com entidades dos EUA com o objetivo de melhorar a liberdade religiosa no país.

Os parceiros Portas Abertas da Ásia Central acreditam que ainda é cedo para ser otimista sobre os desenvolvimentos no Cazaquistão. “As eleições, no final de 2020, foram realizadas sem que nenhum partido da oposição participasse e a atitude do governo em relação a ativistas e jornalistas também não mudou. Não sabemos o que esperar para os cristãos no país”, compartilha colaborador.

No ano passado, duas igrejas vizinhas na capital Nur-Sultan foram informadas de que os edifícios eram necessários para a construção de um novo jardim de infância. Representantes de igrejas da área disseram aos parceiros Portas Abertas na época que as igrejas registradas eram verificadas com frequência e enfrentavam maiores restrições; para igrejas não registradas, a situação era ainda pior.

Pedidos de oração

Ore pelos cristãos no Cazaquistão que foram multados, para que Deus os mantenha firmes na disseminação do evangelho, mesmo diante da privação da liberdade religiosa.

Interceda pelos governantes do país, para que Jesus os visite realizando uma transformação de vida.
Clame pelos seguidores de Cristo em toda a Ásia Central, para que continuem a propagar as boas obras do Senhor, sem medo das perseguições.

Portas Abertas

OUTRAS NOTÍCIAS