Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 21/08/2019

Decreto regulariza a extinção de escolas municipais que já estavam desativadas

Três escolas da Rede Municipal de Educação – que já estavam desativadas há alguns anos – foram extintas em decreto publicado no Diário Oficial desta quarta-feira, 21. Os estudantes já haviam sido remanejados para escolas próximas, com melhor estrutura e equipe pedagógica.

 

As unidades de ensino vinham ao longo dos últimos anos apresentando matrícula baixa, com 15 ou 30 alunos. A estrutura também era antiga.

 

O remanejamento atende ao processo de reordenamento das escolas que vem sendo desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação com o objetivo de oferecer escolas com estrutura mais adequada e corpo docente completo. Com o ato oficial, a documentação das escolas é regularizada, cumprindo exigência legal.

 

“As crianças não ficam desatendidas – elas são transferidas para escolas bem próximas e com estrutura maior, corpo docente completo – diretora, vice-diretora, coordenadora pedagógica, professores e funcionários de outros setores”, esclarece o secretário de Educação, Marcelo Neves.

 

A Escola Municipal do Conjunto Viveiros, no bairro de mesmo nome, já não funcionava desde 2016. A unidade de ensino – que funcionava em uma casa alugada e atendia a aproximadamente 80 estudantes – foi substituída pelo Centro Municipal de Educação Infantil Neusa dos Santos Brasileiro, inaugurada no mesmo ano e que hoje tem 220 crianças matriculadas. O CMEI possui uma estrutura moderna e de melhor qualidade, garantindo um espaço mais adequado para os alunos e professores.

 

“Quando desativa uma escola pública a Seduc se baseia em um estudo ou análise sério e detalhado, que considera varios aspectos e condições. O objetivo principal é estabelecer as melhores condições de atendimento ao estudante”, esclarece a chefe de gabinete da Seduc, professora Paula Soto.

 

Já no distrito de Bonfim de Feira, a unidade de ensino extinta foi a Escola Municipal Ovídio Freitas Souza, que no ano de 2018 contava com apenas 15 estudantes matriculados. A Escola Municipal Manoel Roseno Moreira, do distrito de Tiquaruçu, que também está no decreto, tinha até 2018 cerca de 30 alunos.

 

Ambas as escolas já não funcionaram este ano letivo e os alunos foram transferidos para as unidades de ensino do núcleo da Escola Municipal José Ferreira Venas e Joviniano Cordeiro Vitório, respectivamente.

 

“Os estudantes foram transferidos para os núcleos mais próximos – que oferecem uma estrutura e uma sede maior. No fim do ano, sempre fazemos uma análise dessas escolas para avaliarmos o que é melhor para os estudantes, estas decisões são conversadas com a direção e a comunidade escolar antes que a escola seja desativada”, explica Paula Soto.

 
Secom