Denúncia de água suja descartada irregularmente chegou a quase 300 queixas

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Acesso internet celular

Descarte em ruas provoca danos ao pavimento e afeta a saúde

Água suja jogada na rua de forma irregular, conhecida como água servida, tem sido um problema recorrente em Feira de Santana, aumentando os riscos à saúde, danos ao meio ambiente e à degradação do pavimento. Em 2021, a Prefeitura, por meio da Vigilância Sanitária, recebeu 280 denúncias. Mangabeira, Tomba, Conceição II e Parque Getúlio Vargas são alguns dos bairros com o maior índice de queixas.

A água servida é aquela resultante da lavagem de roupas, provenientes de pias, banheiros ou água em geral com resíduos químicos ou orgânicos, que deve ser descartada nas fossas sépticas ou na rede de esgoto – nunca jogada na rua ou nas calçadas.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a água servida também contribui para a proliferação de insetos, como o Aedes Aegypti – transmissor das arboviroses dengue, zika e chikungunya, além de bactérias causadoras de outras doenças.

A coordenadora da Vigilância Sanitária, Cristiane Campos, destaca que as equipes desenvolvem ações educativas junto à população.

“Diariamente os profissionais realizam a fiscalização nos bairros. O morador flagrado descartando água servida de forma irregular é notificado e, se persistir no ato, ele poderá ser autuado e multado de acordo com a legislação municipal”, explicou.

Instituída há 29 anos, a Lei Complementar número 1.613/92, diz que “é proibido consentir no escoamento de águas servidas das residências, piscinas ou dos estabelecimentos em geral nas vias públicas”. A Vigilância Sanitária orienta que situações como esta podem ser denunciadas pelo aplicativo Fala Feira 156.

Secom -Foto: Jorge Magalhães

OUTRAS NOTÍCIAS