Deputado estadual João Isidório sofreu lesão na coluna, após pular no mar, diz amigo da família

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

O deputado estadual João Isidório, que morreu na quinta-feira (11), sofreu lesão na coluna, após pular no mar, segundo relata Ronald Dias, amigo dele, que estava no local do ocorrido. A família, no entanto, não falou sobre o caso.

“Ele se jogou em um local raso, segundo informação que eu obtive, onde teve fratura na coluna cervical. Acredito que com a fratura na coluna ele tentou se sustentar de pé e nessa hora não teve o auxílio”, detalhou.

Apesar de estar no local do ocorrido, o amigo disse que não viu a hora em que o deputado pulou no mar. “A gente estava em um passeio entre família. Eu não vi na hora que ele se jogou, caiu no mar, e caiu no raso. Era um local raso, da cintura para baixo”.

“Aí depois quando eu virei, que eu vi ele, eu vi como se ele estivesse lavando o rosto com a água. Batendo os braços e com o rosto na água. Depois que ele parou, que ele ficou com a ‘cara’ na água, foi que a gente desceu, se jogou, e começamos a dar os primeiros socorros”.
De acordo com Ronald, um primo de João, que é policial, pediu ajuda ao Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer).

“A gente foi tentando reanimar até chegar em Madre de Deus. Fazendo respiração boca a boca. O Samu chegou, botamos no Samu, deram os primeiros socorros, levaram para o estádio, de lá para o hospital, onde infelizmente o irmão que a vida me deu veio a óbito”, disse.

Segundo o amigo, João era uma “pessoa de coração grande e muito bondoso”.

“A vida me presenteou ele como irmão. Para mim está sendo muito difícil lidar com esse momento”, afirmou.

“Ele era um pai, um filho responsável, obediente ao seu pai pastor Isidório. Foi um político extraordinário, com um futuro promissor, e partiu de uma forma tão precoce sem nos dar o direito de poder se despedir”, lamentou.

João Isidório tinha 29 anos. O corpo dele foi velado nesta sexta-feira (12), na sede da Fundação Jesus, em Candeias, na região metropolitana de Salvador.

Durante o velório, o deputado federal Pastor Sargento Isidório, pai de João, discursou e disse ainda não acreditar na morte precoce do filho.

O senador Jaques Wagner também esteve no velório e disse que a morte do deputado é uma perda para a Bahia, tanto para o trabalho desenvolvido na Fundação Dr. Jesus, quanto na política.

“Um jovem, o mais votado em 2018, era muito tranquilo, só fazia o bem, sempre juntando as pessoas e tinha uma carreira bonita como deputado estadual. Tem horas que não adianta tentar falar, a gente fica sem palavras, eu vim trazer meu abraço para família e depois vou continuar dando força para o Sargento Isidório, para que ele possa continuar, porque o filho era o braço direito dele”, disse o senador.

A fundação Dr. Jesus, onde o velório foi realizado, é uma organização sem fins lucrativos que trabalha no tratamento e acolhimento de dependentes químicos. Ela foi fundada pelo Pastor Sargento Isidório e João atuava como coordenador.

G1 Bahia

OUTRAS NOTÍCIAS