Dois homens são presos suspeitos de tentar matar pastor a pauladas 

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Marcos Ribeiro Ferreira foi agredido a pauladas em Jataí, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Dois homens foram presos suspeitos de tentar matar um pastor a pauladas em Jataí, na região sudoeste de Goiás. Segundo a Polícia Civil, os suspeitos confessaram que agrediram Marcos Ribeiro Ferreira, de 42 anos. Ele foi levado para um hospital com graves ferimentos na cabeça.

O g1 não conseguiu localizar a defesa dos suspeitos para que pudesse se posicionar sobre o ocorrido. A reportagem solicitou ao Hospital Estadual de Jataí, o estado de saúde da vítima, na manhã desta terça-feira (7), e aguarda retorno.

O caso aconteceu na tarde da última segunda-feira (6). De acordo com o relato da ocorrência policial, uma testemunha, que prestou socorro à vítima, foi quem informou aos policiais onde estava um dos autores. Ao chegarem no local, os policiais conseguiram prender o suspeito.

Ao ser detido, segundo a ocorrência, o homem confessou o crime e afirmou que agiu com a ajuda de um comparsa. Ele também informou onde o amigo estava, o que possibilitou que o segundo suspeito fosse preso.

De acordo com o delegado, em depoimento, o primeiro preso afirmou que a vítima chegou na sua casa armado e anunciou um assalto. Já o segundo suspeito disse que conhecia o pastor e que ele teria chegado na residência armado para cobrar uma dívida.

“Os dois falam que a vítima estava armada, mas que depois viram que não era uma arma e sim um pedaço de cano e, a partir de então, começaram a agredi-la”, contou.

De acordo com o delegado, depois de serem ouvidos, os dois suspeitos foram encaminhados para o Presídio de Jataí, onde irão responder por tentativa de homicídio.

“É uma situação que, por si só, já demonstra que não há legítima defesa porque não havia nenhum perigo, a partir do momento que eles disseram que a vítima estava apenas com um pedaço de cano na cintura, o que também não foi encontrado e só pode ser confirmado pelo pastor”, afirmou o delegado.

G1

OUTRAS NOTÍCIAS