Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 13/03/2019

Edir Macedo pede perdão a pastores após entrevista polêmica com “demônio”

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) tentou se antecipar à repercussão negativa de um vídeo polêmico, onde o bispo Rogério Formigoni aparece entrevistando um “demônio” durante um culto, divulgando um pedido de desculpas de Formigoni pelo ocorrido. Mas não foi suficiente.

 

O vídeo viralizou e se tornou matéria em diversas mídias do Brasil, como o jornal Folha de São Paulo, que destacou o ataque do “demônio” contra as demais denominações evangélicas e também a religião católica.

 

Ainda segundo o jornal paulista, o vídeo gerou um debate em um grupo de WhatsApp com integrantes da bancada evangélica do Congresso Nacional, onde o líder do PRB e bispo licenciado da Universal, deputado federal Marcos Pereira, teria tentado amenizar a polêmica ao informar a retratação de Formigoni.

 

O pastor e deputado federal Marco Feliciano (Pode-SP), no entanto, que é da Assembleia de Deus, reagiu lembrando de outros episódios protagonizados pela IURD.

 

“Com todo o respeito ao líder Marcos Pereira, não é a primeira vez que um bispo da Universal ataca os pentecostais. Bispo Macedo comparou em seu blog nossos cultos a centros espíritas”, escreveu Feliciano.

 

No vídeo, o suposto endemoniado diz que igrejas como a Assembleia de Deus, Presbiteriana, a Batista e outras estariam sob a influência demoníaca, chamando ainda uma santa católica de “desgraçada”.

 

Depois que termina a entrevista com a suposta entidade demoníaca, Rogério Formigoni ainda se vira para a plateia e diz: “Olha pra mim, não é sério isso? Pior de tudo é que tem uma multidão indo pro inferno dentro de uma igreja com uma Bíblia embaixo do braço”.

 

Apesar de Formigoni ter publicado um vídeo pedindo desculpas pelo ocorrido e a própria IURD ter emitido um texto repudiando o bispo, a repercussão foi tão negativa que o líder da denominação, Edir Macedo, precisou vir a público condenar o episódio, classificando-o como “uma tremenda injustiça” e pedindo perdão aos pastores de outras igrejas.

 

Macedo disse que ora pelos demais líderes evangélicos e que todos trabalham em prol do mesmo Reino de Deus, clamando pela união na fé e o respeito mútuo entre eles e também outras religiões. Assista abaixo:

Gospel +