Versículo do dia
Onde não há conselho os projetos saem vãos, mas, com a multidão de conselheiros, se confirmarão.

Eduardo Cunha tem carros de luxo registrados em nome de Jesus.com, revela inquérito

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

2013-Porsche-CayenneDados do pedido de instauração de inquérito contra o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) mostraram que o presidente da Câmara dos Deputados tem carros de luxo registrados no nome de sua empresa, chamada Jesus.com.

 

A informação inusitada foi noticiada pelo jornal O Estado de S. Paulo na noite da última sexta-feira, 16 de outubro.

 

Dentre os oito veículos da frota particular de Eduardo Cunha, estão um Porsche Cayenne, avaliado em R$ 429.478,00 mil; um Ford Edge V6, de R$ 120.165,00 mil; e um Ford Fusion NA WD GTDI, que hoje vale R$ 92.693,00. Todos os veículos são 2013.

 

O pedido de instauração de inquérito foi feito pelo procurador-geral da República interino, Eugênio José Guilherme Aragão, e deverá ser aberto após aprovação do Supremo Tribunal Federal (STF)

 

“Segundo informações de fontes abertas, a frota de carros que Eduardo Cunha se utilizaria no Rio de Janeiro seria composta de diversos veículos, incluindo uma Porsche Cayenne, Touareg, Corolla, Edge, Tucson, Pajero Sport. Este Porsche Cayenne é conduzido pela esposa de Eduardo Cunha, Cláudia Cordeiro Cruz”, disse o procurador Aragão.

 

“Em consulta às bases de dados do INFOSEG, verifica-se que realmente há diversos veículos registrados em nome de Cláudia Cruz e, em especial, em nome das empresas do casal”, acrescentou.

 

De acordo com a matéria do jornal, outra parte da frota está em nome da empresa C3 Produções, também de propriedade de Cunha. Os veículos seriam uma Pajero Sport Flex, 2010; um Hyundai Tucson, 2009; um I/LR Freelander 2 SEI, 2008; e uma BMW 325i, 1993.

 

O parlamentar, que é integrante da bancada evangélica, foi denunciado pelo Ministério Público Federal por corrupção e lavagem de dinheiro. Pesa sobre Cunha a suspeita de que ele tenha recebido propinas sobre contratos da Petrobrás, mas ele nega as acusações.

 

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS