Versículo do dia
Para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder pelo seu Espírito no homem interior; para que Cristo habite, pela fé, no vosso coração; a fim de, estando arraigados e fundados em amor.

Eduardo Cunha tem carros de luxo registrados em nome de Jesus.com, revela inquérito

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

2013-Porsche-CayenneDados do pedido de instauração de inquérito contra o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) mostraram que o presidente da Câmara dos Deputados tem carros de luxo registrados no nome de sua empresa, chamada Jesus.com.

 

A informação inusitada foi noticiada pelo jornal O Estado de S. Paulo na noite da última sexta-feira, 16 de outubro.

 

Dentre os oito veículos da frota particular de Eduardo Cunha, estão um Porsche Cayenne, avaliado em R$ 429.478,00 mil; um Ford Edge V6, de R$ 120.165,00 mil; e um Ford Fusion NA WD GTDI, que hoje vale R$ 92.693,00. Todos os veículos são 2013.

 

O pedido de instauração de inquérito foi feito pelo procurador-geral da República interino, Eugênio José Guilherme Aragão, e deverá ser aberto após aprovação do Supremo Tribunal Federal (STF)

 

“Segundo informações de fontes abertas, a frota de carros que Eduardo Cunha se utilizaria no Rio de Janeiro seria composta de diversos veículos, incluindo uma Porsche Cayenne, Touareg, Corolla, Edge, Tucson, Pajero Sport. Este Porsche Cayenne é conduzido pela esposa de Eduardo Cunha, Cláudia Cordeiro Cruz”, disse o procurador Aragão.

 

“Em consulta às bases de dados do INFOSEG, verifica-se que realmente há diversos veículos registrados em nome de Cláudia Cruz e, em especial, em nome das empresas do casal”, acrescentou.

 

De acordo com a matéria do jornal, outra parte da frota está em nome da empresa C3 Produções, também de propriedade de Cunha. Os veículos seriam uma Pajero Sport Flex, 2010; um Hyundai Tucson, 2009; um I/LR Freelander 2 SEI, 2008; e uma BMW 325i, 1993.

 

O parlamentar, que é integrante da bancada evangélica, foi denunciado pelo Ministério Público Federal por corrupção e lavagem de dinheiro. Pesa sobre Cunha a suspeita de que ele tenha recebido propinas sobre contratos da Petrobrás, mas ele nega as acusações.

 

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS