Versículo do dia
Porque a vós vos foi concedido, em relação a Cristo, não somente crer nele, como também padecer por ele.

Edvaldo diz que Justiça mandou suspender licenças ambientais do aterro da Viva Ambiental

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

edvaldo-3-630x300

Na manhã desta quarta-feira (06), o vereador Edvaldo Lima (PP) ocupou a tribuna da Casa da Cidadania para questionar a legalidade do serviço de descarte de lixo na cidade de Feira de Santana.

 

O edil citou uma Sentença de Ação Civil Pública contra a Prefeitura de Feira de Santana, “que diz que a Justiça cassou todas as licenças ambientais da Viva Ambiental e Serviços Ltda., referente ao aterro sanitário”, disse Edvaldo, ressaltando que, diante da decisão judicial está bem claro que o descarte do lixo na cidade está ilegal.

 

Em aparte, o vereador Justiniano França (DEM), que recentemente estava à frente da Secretaria Municipal de Serviços Públicos, informou que a decisão judicial não é definitiva. “A Justiça deu um prazo para o Município se pronunciar até o dia de amanhã”.

 

O democrata disse que, na condição de secretário, pediu ao Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) que se pronunciasse a respeito das licenças ambientais concedidas à empresa Viva Ambiental. “Agora, o nosso contrato não é com o aterro sanitário, o contrato do Município é com a empresa Cavo, que ela pode botar o lixo no aterro da Viva, pode colocar no aterro da Sustentare ou pode dar o destino a qualquer aterro licenciado em Feira de Santana ou em outros municípios”, explicou.

 

Novamente com o uso da palavra, Edvaldo agradeceu ao vereador Justiniano França pelos esclarecimentos, no entanto, afirmou que, de acordo com a Justiça, a Prefeitura Municipal de Feira de Santana não pode descartar o lixo no aterro sanitário que vem utilizando. “Eu entendo que o Governo deveria tomar as devidas providências para que isso não pudesse acontecer”, pontuou.

OUTRAS NOTÍCIAS