Versículo do dia
Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de um melhor concerto, que está confirmado em melhores promessas.

Edvaldo Lima critica apreensão de veículos pela SMT

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

edvaldo-3-630x300No uso da tribuna, na manhã desta terça-feira (17), o vereador oposicionista Edvaldo Lima (PP) falou sobre o conhecimento que o Governo Municipal tem em relação aos veículos apreendidos pela Superintendência Municipal de Trânsito (SMT) e as dificuldades que os proprietários passam para retirá-los do pátio.

 

“O vereador Tom tem mostrado preocupação em relação ao valor cobrado pelo guincho que presta serviço ao Governo do Estado para o transporte de veículos e motos. Também concordo que, com o valor cobrado, o proprietário é punido duas vezes: uma com a multa e a outra com o transporte do veículo pelo guincho. Mas, eu gostaria que o colega falasse também sobre os guinchos que prestam serviço à SMT, que já foi denunciado nesta Casa”, disse Edvaldo.

 

Segundo o parlamentar, os veículos apreendidos pela SMT ficam entre 15 e 30 dias no pátio e os proprietários são impedidos de retirá-los, mesmo quando a apreensão não foi legal. “Eles apreendem os carros sem motivo e ficam dizendo que os motoristas estavam fazendo ligeirinhos. Os carros ficam 15, 30 dias apreendidos e os proprietários não conseguem retirá-los antes, e o Governo Municipal tem ciência disso, mas não adota providencias. Certo dia, um pai de família que levava seus parentes para o centro da cidade teve o carro apreendido e teve que ir ao cartório pegar um documento para comprovar o parentesco e não denunciou o caso ao MP, porque ficou com medo de retaliação”, relatou.

 

 

Para finalizar, Edvaldo falou sobre o destino dos recursos arrecadados pela SMT com as multas. “Foram mais de 50 mil multas em seis meses e a população precisa saber para onde vai este dinheiro. Várias vezes entrei com requerimento nesta Casa solicitando a presença do superintendente para tirar dúvidas e espero que seja atendido”.

 
Ascom

OUTRAS NOTÍCIAS