Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 21/10/2019

Edvaldo Lima volta a pedir ajuda para taxistas de Feira

Em pronunciamento, na sessão ordinária desta segunda-feira (21), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o edil Edvaldo Lima (PP) pediu ajuda dos governos Municipal e Estadual para isenção de impostos para taxistas e defendeu o presidente Jair Bolsonaro de acusações.

 

“Uso esta tribuna mais uma vez para pedir pelos taxistas que não sabem mais o que fazer para a sua sobrevivência. Eles estão passando, em toda a história de Feira, a maior dificuldade que já acompanhei. Já fui taxista e conheço a realidade da categoria. Naquela época, tínhamos como sobreviver com o veiculo e trocávamos de carro a cada dois anos. Hoje, eles estão pedindo misericórdia, pois chegam ao ponto 6, 7 horas e voltam para casa às 18 horas sem fazer, sequer, uma corrida. Eles estão passando dificuldades”, pontuou Edvaldo.

 

E continuou. “Já recebi áudios clamando por ajuda. Já pedi ajuda aqui nesta tribuna: pedi ao Estado e Município que os deixem isentos de impostos. Eles não têm mais como sobreviver e o Governo não pode ver isso com indiferença. Conclamamos ao Governo, ao prefeito Colbert: isente os taxistas da licença para rodar, abra mão dela, pois eles não têm mais como sobreviver, tão pouco como pagar a licença. Rui costa, conclamo também a isenção estadual”, pediu.

 

Segundo Edvaldo, é lamentável o que está vendo e ouvindo acontecer com os taxistas. “É o momento das autoridades constituídas acordarem para isso. Eliomar, presidente do Sindicato, peça também ao prefeito a isenção. Vou fazer um Projeto de Lei solicitando essa isenção, pois eles não têm como pagar”, afirmou.

 

Em aparte, o vereador Cadmiel Pereira (PSC) parabenizou o colega pelo discurso. “Vossa Excelência foi feliz nesse discurso. São muitos taxistas que atuam na cidade, mas com a modernidade do transporte está mesmo complicado trabalhar. Está com a razão quando pede ajuda ao Município. Não dá para os taxistas competirem com esses aplicativos, se a eles são feitas várias exigências. Vejo Uber com placa de Minas Gerais, por exemplo, porque não há regras para o Uber atuar em Feira”, ressaltou.

 

Também em aparte, o petista Alberto Nery disse que teve oportunidade de solicitar um serviço de Uber e pagou bem mais barato que um táxi. “Na ida fui de Uber e paguei R$ 36, na volta peguei um táxi e paguei R$ 90. Precisa mesmo adotar medidas para reduzir os custos dos taxistas”, avaliou. Seguindo a mesma linha, o vereador Luiz da Feira (PC doB) parabenizou o discurso de Edvaldo Lima.

 

Ascom