Edvaldo relata que modelo deixou a homossexualidade e, hoje, serve a Deus

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

11079596_746388188813103_3591541909949284108_nEm pronunciamento na tribuna da Casa da Cidadania, nesta quarta-feira (8), o vereador Edvaldo Lima (PP), após parabenizar o colega Marcos Lima (PRP) pela moção de censura contra uma cena de beijo gay na novela Babilônia, levou ao conhecimento dos presentes na sessão ordinária o relato de vida de uma mulher, que, segundo ele, era gay, se converteu e, hoje, está em busca de um casamento heterossexual.

 

“Parabenizo o discurso do vereador Marcos Lima. Eu repudio qualquer ato que vá de encontro à família. E não tiro uma palavra do que estou falando aqui, a Rede Globo se quiser que me processe. Sou filho de um homem e uma mulher e nunca vi contar que duas pessoas do mesmo sexo possam gerar filhos. Estas pessoas serão cobradas depois”, disse Edvaldo.

 

O vereador leu os relatos da modelo Andressa Urach, que era viciada em drogas, brigou com o pai e se envolveu em relacionamento gay. Porém, após a conversão, a modelo fez as pazes com o pai, se livrou das drogas, se separou da companheira e, hoje, busca se envolver em um relacionamento heterossexual. “Isso é o que Jesus faz na vida das pessoas, ele liberta e dar a cura”, avaliou.

 

Em aparte, o vereador e líder do Governo na Casa, José Carneiro (PSL), pontuou que o Brasil, enquanto país democrático, dar as pessoas o direito à escolha sexual. “As autoridades, tanto sexuais quanto religiosas, precisam refletir, porque está havendo uma guerra entre religião e homossexualidade”, aconselhou.

 

De volta com a palavra, Edvaldo garantiu que os evangélicos não estão em busca de guerra. “Mas, Jean Wyllys disse que seu mandato é para destruir os evangélicos do país. Não queremos guerra, mas não podemos amar o pecado deles”, justificou.

 

As informações são da Ascom.

OUTRAS NOTÍCIAS