Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 17/04/2019

Em grande fase, atacante Fred explica porque mudou de vida: “Conheci a Palavra”

O atacante Fred, do Cruzeiro, concedeu uma entrevista para falar de sua boa fase no futebol, explicando o motivo de em 2019, aos 35 anos, ter 14 gols em 14 partidas. E o jogador não perdeu a oportunidade de dizer que tudo se resume em ter conhecido Jesus.

 

Com duas Copas do Mundo no currículo, o atleta mineiro ficou conhecido no futebol como um adepto das baladas e dos relacionamentos sem compromisso. No entanto, em 2015, quando conheceu o veterano atacante Magno Alves (à época com 39 anos), ele teve contato com a Palavra de Deus e abandonou a vida promíscua.

 

“O que mais mudou foi que eu conheci a Palavra de Deus”, afirmou Fred, em entrevista ao Esporte Espetacular, da TV Globo.

 

O relacionamento com Magno Alves, porém, não foi positivo no início: “Isso mexeu com a minha vaidade. Quem que é esse coroa? Quem que é esse ‘véião’? Veio tomar meu lugar? Ele estava com 40 e poucos anos e eu não conhecia o Magno”, relembrou Fred.

 

O veterano realizava grupos de oração na concentração do Fluminense, e convidava todos os atletas, mas Fred resistia a participar. “Eu jogava videogame com o Gum e o Jean, aí tocou o telefone e era o Magnata chamando para uma reunião de oração. Aí eu falei: ‘Vocês vão? Esse cara a gente nem conhece’. Queimando o Magnata… Aí na terceira reunião eu fui. Fiquei duas horas chorando, tive meu encontro com Jesus, e ali eu me converti”, explicou.

 

Hoje, o atacante é casado com a publicitária Paula Armani e tem duas filhas, uma de um relacionamento anterior. “A Bíblia fala não se prostituir, não se embriagar… Aí eu comecei a ver que isso não agradava a Deus. E quem pegou de ‘rebote’ foram meus filhos, minha família e meus amigos”, comemorou.

 

Outro reflexo da iniciativa de se entregar a Jesus é o desempenho em campo: “Quando eu estava com 26, 27 anos, dizia que ia jogar até os 31, 32, não estava aguentando. Muita pressão, confusão, cobrança. Hoje [com 35 anos] eu não penso em parar. Eu me sinto bem melhor”, resumiu.

 

Gospel +