Encolhimento da Lua revelado pela NASA é sinal de cumprimento profético, diz pastor

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp
backgrounds night sky with stars, moon and clouds. wood floor. Elements of this image furnished by NASA

Um relatório intrigante divulgado pela “National Aeronautics and Space Administration”, ou Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço, mais conhecida popularmente pela sigla NASA, revelou que o satélite natural da Terra, a Lua, está encolhendo, algo visto como um sinal profético por alguns teólogos.

 

Entre esses líderes está o pastor Paul Begley, conhecido por ter escrito várias obras sobre escatologia, isto é, a disciplina teológica que trata dos acontecimentos dos últimos dias da humanidade, na iminência da segunda vinda de Jesus Cristo à Terra.

 

Paul Begley comentou o relatório da NASA sobre a Lua, dizendo que a ciência está pontando nada mais do que os sinais descritos pela Bíblia Sagrada, como na passagem de Lucas 21:25-28, como está escrito:

 

“E haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Ora, quando essas coisas começarem a acontecer, exultai e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção se aproxima”.

 

Segundo o relatório da Agência Espacial Americana, a Lua está encolhendo “como uma uva passa”, mas a causa do fenômeno ainda é desconhecida. Entretanto, se trata de algo extremamente lento. Para o pastor Begley, que também já comentou o fenômeno conhecido como “Lua de sangue“, é a Bíblia se cumprindo.

 

“A Lua por dentro é como se fosse uma uva passa – eles dizem que a Lua está começando a encolher como se fosse uma uva passa. Que por dentro, algo está acontecendo com o núcleo da Lua. Será que a Lua está prestes a colapsar? O que isso significa? A Bíblia diz que haverá sinais no Sol, na Lua a nas estrelas.”, disse ele.

 

O pastor fez sua declaração em um vídeo publicado ao vivo no Youtube, segundo o Diário da Amazônia. O cientista Thomas Watters, do Museu Nacional do Ar e Espaço de Washington, também comentou o relatório, dizendo que o fenômeno produzirá transformações na superfície da Lua.

 

“Nossa análise fornece a primeira evidência de que essas fendas ainda estão ativas e provavelmente produzirão ‘lunamotos’ hoje, enquanto a Lua continua esfriando e encolhendo gradualmente”, disse ele.
Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS