Versículo do dia
E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.

Endividada, Band estaria oferecendo descontos a igrejas para transmitir cultos, diz revista

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

missionario-r-r-soaresO Grupo Bandeirantes estaria de olho nas igrejas evangélicas para equilibrar suas contas, e para isso, teria ofertado descontos nos valores de locação de horários em sua grade.

 

O motivo para a mudança de postura – até recentemente a Band vinha fazendo reajustes anuais para renovar o contrato do missionário R. R. Soares – seria o alto endividamento da emissora, de acordo com informações veiculadas pela revista Veja na coluna Radar Online.

 

“Atolada em dívidas, a Band está oferecendo outros horários para pastores colocarem ainda mais programas no ar. Hoje, a grade tem programas da Igreja Universal, [Internacional da] Graça de Deus e Vitória em Cristo aos sábados e domingos e, durante a semana, de noite e madrugada. Os evangélicos também têm conseguido descontos de mais de 10% para continuar no ar. A Band aceita qualquer negociação para não perder os milhões das igrejas”, noticiou a Veja.

 

A Band se posicionou sobre o assunto e disse que “eventuais negociações são naturais e seguem a dinâmica do mercado, prejudicado pelo encolhimento do PIB e pela alta do dólar”, e destacou que seu endividamento é “compatível com seu EBITDA e obedece a rigorosos parâmetros técnicos”, como forma de negar que a situação financeira da empresa seja crítica.

 

As igrejas neopentecostais são uma grande fonte de receita da emissora da família Saad. Em abril desse ano, o jornalista Ricardo Feltrin, do Uol, revelou que anualmente as denominações lideradas pelo bispo Edir Macedo, missionário R. R. Soares e a Associação Vitória em Cristo, do pastor Silas Malafaia, rendem mais de R$ 300 milhões à Band.

 

Somente a renegociação do contrato de Soares, em março passado, teria obrigado o líder da Igreja Internacional da Graça de Deus a pagar R$ 11 milhões mensais para manter seu Show da Fé no ar. O montante somaria R$ 132 milhões ao longo de doze meses.

 

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS