Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 19/03/2019

Entidade vem mudando o hábito da população quanto ao descarte correto do óleo

Com apenas 9 anos, Livia Marques Feitosa  já sabe o que fazer para ajudar a não contaminar as águas de sua cidade. Através do programa implantado pelo Movimento Água é Vida (MAV), com o apoio da Prefeitura de Feira de Santana, a coleta de “Óleo de Cozinha” vem mudando os hábitos de muitas famílias.

 

A garota explica como funciona: “A gente cozinha e não joga fora na pia. Guardo em um pote e levo para minha escola”. Chegando lá, o material é armazenado e recolhido periodicamente pelos voluntários do MAV. O Colégio Civilização, localizado no Jomafa, é um dos mais de 15 pontos de coleta que existem em Feira de Santana.

 

Toda escola é mobilizada para não descartar o óleo em qualquer lugar. Toda família é envolvida também. A coordenadora do ensino fundamental, Verônica Macedo (foto), ressalta a importância da participação de todos.

 

“Utilizamos da sensibilização dos pais e alunos. Para que haja a compreensão que esse tipo de comportamento, que aparentemente é normal, é prejudicial ao meio ambiente. E nada melhor do que utilizar as crianças para isso. Eles são multiplicadores das informações”, destaca a coordenadora.

 

A pequena Livia aproveitou a reportagem e deixou uma dica para quem ainda não tem esse hábito. “Quando for lavar os pratos, você deve guardar o óleo em um pote e levar para um ponto de coleta”.

 

A dica foi dada, mas você deve estar se perguntando porque deve fazer o descarte dessa forma, já que te ensinaram a vida toda que o certo era jogar no ralo da pia ou no quintal de casa!?

 

Todo óleo que é descartado na pia vai para o esgoto ou para os rios. O impacto causado pelo óleo é a diminuição de oxigênio dissolvido na água, por meio da atividade de micro-organismos que degradam o óleo e ao mesmo tempo consomem muito oxigênio – isso provoca a morte da fauna aquática.

 

Segundo um dos voluntários do MAV, Nathan Gabriel Cerqueira (foto), as pessoas devem mudar o comportamento. “Muitos não têm consciência dessa informação. Por isso é realizado esse trabalho. As pessoas devem pensar no coletivo para ajudar o meio ambiente”.

 

De acordo com os dados do MAV, cerca de três mil litros de óleo são coletados por mês pela instituição. Esse material é recolhido e é utilizado para a fabricação de biocombustível ou sabão, através de uma rede de associações da Bahia.

 

A coleta pode ser feita todos os dias, ou de acordo com a demanda dos pontos. Os funcionários do MAV são voluntários e a instituição vem convidando mais pessoas a participarem.

 

Em Feira de Santana existem 15 pontos de coleta para a população. No caso da escola de Lívia, é um ponto fechado só para a comunidade escolar, assim como existem em outros estabelecimentos particulares. Confira:

 

Todos os Centros de Referência de Assistência Social (CRASs)
Comunidade Cristo Operário (Aviário)
Embasa (Campo Limpo e Fundo do Cuca)
Escola Municipal Regina Vital (Campo Limpo)
Feira Produtiva (Centro de Abastecimento)
Igreja Batista Central (Centro)
Paróquia Cristo Redentor (Jomafa)
Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Tomba)
Paróquia Santo Antônio (Capuchinhos)
Secretaria de Meio Ambiente
Secretaria de Serviços Públicos
Sindicato dos Trabalhadores da Indústria
Unidade Básica de Saúde (Caseb I)
Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

 

 

Secom