Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 26/08/2019

Erro da polícia cria falsa contradição em depoimento de Flordelis

RJ – COLETIVA/ENTREVISTA/RIO DE JANEIRO – CIDADES – A deputada federal Flordelis (PSD) concedeu uma entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (25), na Barra da Tijuca, para falar sobre o assassinato do marido, Anderson do Carmo, morto no domingo (16). Na ocasião, ela defendeu os filhos Lucas e Flávio, presos suspeitos pelo crime. 25/06/2019 – Foto: LUCIANO BELFORD/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Um erro da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, responsável pela investigação da morte do pastor Anderson do Carmo, criou uma falsa contradição no depoimento prestado pela deputada federal Flordelis dos Santos de Souza.

 

O jornal EXTRA constatou que o depoimento de um dos filhos da parlamentar, André Luiz de Oliveira, foi colado por engano no meio do relato de Flordelis.

 

No depoimento, André Luiz contou aos policiais o que estava fazendo no momento em que Anderson é assassinado, na garagem da casa da família.

 

O filho de Flordelis prestou depoimento no dia do crime, 16 de junho, às 10h35. Em seu relato à polícia, ele conta que estava dormindo “quando foi acordado pelo barulho de tiros”.

 

Ele disse aos policiais que mora perto de comunidades, por isso não achou que havia algo acontecendo e voltou a dormir. André disse ainda que alguns minutos depois, foi acordado por gritos vindos de sua casa e desceu para ver o que estava acontecendo. André Luiz conta que viu Anderson “caído no chão da garagem com vários ferimentos”.

 

A versão de André constou, por engano, no depoimento de Flordelis, colhido cerca de sete horas após o dele. Em seu relato nesse dia, a pastora contou que no momento em que Anderson foi assassinado, ela estava no quarto de um de seus filhos, conversando com o neto Ramon.

 

A pastora afirmou ainda que foi impedida por seus filhos de descer para ver o que havia ocorrido. A mesma versão foi mantida por ela no depoimento seguinte, na DH, no dia 24 de junho.

 

A assessoria de imprensa da Polícia Civil confirmou André foi ouvido no mesmo dia que a pastora e que, por erro material, o texto do depoimento dee constou no termo de declarações da deputada.

 

Em nota, a deputada federal Flordelis afirmou que o “erro grosseiro” foi veiculado no RJ2, da TV Globo, e que espera uma retratação.

 

“Erro grosseiro no RJ2, veio à tona numa Matéria do jornal Extra do mesmo grupo. Hoje, o RJ2, da TV Globo, noticiou o que seriam contradições em meus depoimentos. Em contato com a minha assessoria de imprensa, sem explicar o conteúdo do que seria vinculado, pediram uma posição minha falando em contradições, sem afirmar quais, e reafirmei que apenas disse a absoluta verdade na delegacia. A bem da verdade, o jornal Extra acaba de desmentir o que foi vinculado. Espero que o RJ2 cumpra o seu papel de informar e conserte o erro”, disse a nota.

 

Fonte: O Globo e Pleno News