Versículo do dia
E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará das minhas mãos. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las das mãos de meu Pai. Eu e o Pai somos um.

Escola muçulmana financiada pelo Reino Unido promove estupro e violência doméstica

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Na Inglaterra, escolas secundaristas só para muçulmanos são financiadas por verbas públicas. As instituições além de segregarem meninos e meninas em espaços separados, trabalham com material didático que promove a violência doméstica e estupro conjugal.

 

A Escola Al-Hijrah em Birmingham, que obtêm financiamento público desde 2001, foi colocada em um grupo especial para auditoria, depois que os textos que incentivavam a violência foram encontrados na biblioteca da instituição e uma criança morreu por uma reação alérgica.

 

Em um relatório publicado em maio, o inspetor Ofsted também identificou bullying, disse que o playground era caótico, o ensino era pobre, os alunos não estavam seguros e alguns funcionários não sabiam o que fazer em emergências médicas. A escola recebeu um julgamento “inadequado”, a classificação mais baixa.

 

O relatório condenatório também criticou a política da escola de segregar meninos e meninas, provocando uma longa batalha legal, que ainda está em andamento. A escola tentou esconder que recebia verbas públicas do conselho de Birmingham.

 

Os juízes do tribunal de apelação foram convidados na semana passada a tomar uma decisão definitiva no caso. Se Ofsted ganhar, até 20 escolas islâmicas que lecionam separadamente meninos e meninas serão obrigadas a reformular suas propostas pedagógicas.

 

De acordo com The Times, Amanda Spielman, inspetora-chefe da Ofsted, disse que a escola dever ser assumida por uma pessoa de confiança, independe e sob as ordens do Departamento de Educação.

 

“Estou profundamente preocupada com a ideia de que há segregação de crianças dentro de uma escola mista, é inaceitável”, disse ela ao jornal.

 

Os conselhos da cidade de Birmingham e executivo interino de Al-Hijrah disseram que estavam “cooperando totalmente” com o Departamento de Educação para encontrar um patrocinador adequado para a escola.

 

GOSPEL PRIME

OUTRAS NOTÍCIAS