Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 29/04/2019

‘Esquenta’ acabou por causa do avanço do conservadorismo, diz Regina Casé

Regina Casé, atriz e apresentadora, afirmou durante uma entrevista que seu programa, Esquenta, que era veiculado pela TV Globo aos domingos, chegou ao fim por conta do avanço do conservadorismo no Brasil.

 

A declaração foi dada em entrevista a Pedro Bial, que foi levada ao ar na última quinta-feira, 25 de abril. O jornalista questionou a Casé quais seriam os motivos que causaram o fim do programa, em 2017.

 

“Eu acho que a gente vinha sentindo essa mudança, mas sem dúvida, essa festa, tudo o que era celebrado, foi mudando. O programa era muito libertador”, disse Regina Casé, referindo-se à queda de audiência motivada pela mudança de percepção do brasileiro sobre os temas que o Esquenta tratava.

 

Em outro ponto de sua participação no Conversa com Bial, a atriz e apresentadora afirmou que batizou seu filho caçula em cinco religiões diferentes: “O Roque eu batizei em cinco. Foi simultaneamente: Igreja Católica, candomblé, uma pastora evangélica muito legal, um rabino e uma monja budista, cinco religiões”, revelou, expondo o sincretismo religioso que permeia a cultura popular no país.

 

“Eu gosto de qualquer ritual, aniversário de cachorro, batizado de boneca”, acrescentou, em tom de brincadeira, levando a plateia aos risos, repetindo a “irreverência” – louvada por seus colegas de profissão, mas rejeitada por grande parte do público – que marcava seu antigo programa.

 

Agora, sem a atração que era transmitida aos domingos, Regina Casé voltou a atuar em novelas da Globo, e será a protagonista da novela Amor de Mãe, que será exibida na faixa das 21h00 a partir do final de 2019 ou começo de 2020, sucedendo A Dona do Pedaço, que estreia no próximo dia 20 de maio.

 

“Eu me assustei que a nova geração nunca tinha me visto no palco. Esses dias um menino disse: amei o [filme] Que Horas Ela Volta?, nunca imaginei que uma apresentadora pudesse representar tão bem. Aí eu falei: tem alguma coisa errada. Eu acho que sou uma atriz que estou à serviço de coisas que acredito. Eu resolvi aceitar [voltar às novelas] primeiro porque eu invento, carrego pedra, eu faço. Nunca ninguém me tira pra dançar. Sempre sou eu […] Agora vou ser atriz… por uns dois anos pelo menos”, finalizou.

 

Gospel +