“Estão oprimindo ainda mais o povo”, diz Daciolo ao criticar o governo Bolsonaro

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Ele conquistou o 6ª lugar na eleição presidencial de 2018, obtendo 1,3 milhão dos votos. O cabo do Corpo de Bombeiros e ex-deputado federal Benevenuto Daciolo Fonseca dos Santos, mais conhecido como Cabo Daciolo, reapareceu em uma entrevista onde fez críticas ao governo do presidente Jair Bolsonaro e também falou um pouco do seu tempo afastado da política.

 

“A igreja evangélica me ensinou a ler Bíblia. Quando entro no Congresso Nacional, uma das minhas maiores decepções foi a própria bancada evangélica”, disse Daciolo, que iniciou a vida política filiado ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), mas depois deixou a legenda por discordâncias.

 

Falando do Congresso, ele disse que quando visualiza aquilo entendeu “mais do que nunca o que estava escrito na palavra, que o nosso corpo é templo e que eu preciso ir para o monte jejuar, orar e buscar o Senhor e levar o amor. É o que eu faço”, informou ao UOL.

 

Daciolo ficou conhecido por abrir suas falas com um “glória a Deus” e sempre citar versículos bíblicos em suas colocações, mas também por fazer “profecias” que, aparentemente, não foram cumpridas, como a de que venceria a eleição em 2018.

 

Após explicar que passou a maior parte do ano de 2019 cuidando da sua esposa, diagnosticada com leucemia, Daciolo fez críticas ao governo de Jair Bolsonaro, afirmando que o mesmo teria mudado de visão política sobre a economia do país após vencer a eleição.

 

“Ela foi curada de forma maravilhosa”, disse o ex-deputado sobre a esposa. “Hoje não tem mais leucemia no sangue dela. Ela fez o transplante de medula, está em casa com nossos filhos, mas é um momento ainda delicado de acompanhamento. Continuamos voltando para o hospital de 15 em 15 dias, às vezes de mês em mês.”

 

Questionado sobre o presidente, Daciolo disse que “ele sempre foi contra essas reformas que fez. Por que agora ele é a favor? O que mudou?”, questionou, aparentemente se referindo à Reforma da Previdência e ao liberalismo econômico do ministro Paulo Guedes.

 

“Esse cenário de reforma mudou o quê no bolso do trabalhador, do povo? Onde está o aumento de emprego, onde está a diminuição da extrema pobreza? Então, esse não é o caminho correto. Estão oprimindo ainda mais o povo”, disse Daciolo.
Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS