Fiel da Igreja Católica recebe carta com cobrança do dízimo “atrasado”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Uma fiel que não entregou o dízimo recebeu uma carta com a cobrança da oferta. O caso, registrado na cidade de Nova Fátima (PR), chamou atenção da mídia por envolver a Igreja Católica, que geralmente se vale da discrição na coleta de doações.

 

O padre Nelson Mendes Vasconcelo, juntamente com dom Manoel, dom Getúlio e a pastoral do dízimo, viraram notícia pela redação de uma carta que alertava os fiéis que a contribuição do dízimo estava em atraso.

 

A carta dizia: “Constatamos através do sistema dos dizimistas que o seu dízimo está atrasado desde janeiro de 2018. Sendo da vontade de Deus, se você quer assumir o compromisso de dizimista, favor procurar a Secretaria Paroquial. ‘O dízimo é bíblico e é um compromisso com Deus e com a igreja’. Deus vos abençoe. Amém”.

A cobrança virou notícia depois que uma familiar de uma das fiéis que recebeu a cobrança decidiu se queixar com a postura da Paróquia Nossa Senhora de Fátima: “Ela [fiel] me ligou dizendo: ‘Você não vai acreditar, recebi uma cobrança do dízimo hoje’. Ela estava muito constrangida, falou que não tinha nem jeito para aparecer na igreja mais. Segundo ela, é uma cobrança que chateia e desanima”, afirmou a familiar, que preferiu se manter anônima.

 

Segundo informações do portal G1, a fiel relatou que ela e a família sempre frequentaram a igreja, mas em determinado momento resolveram passar a frequentar as celebrações em outras paróquias da região.

 

“A vida toda eu fui coroinha, sempre participamos mas, ultimamente, ninguém mais vai por causa do padre. Ela [fiel] disse que parou de contribuir no envelope do dízimo após outros paroquianos relatarem que deram R$ 10 e o padre disse que era esmola. Mas, ela continuou colocando o dinheiro na caixinha na hora da oferta”, explicou a familiar.

 

Explicações

 

A repercussão negativa motivou o padre a se explicar através de seu advogado, que declarou que a carta foi enviada a todos os fiéis cadastrados “somente com intuito de lembrá-los que não estão contribuindo com os dízimos mensais, da forma em que vinham fazendo nos anos anteriores”.

 

No mesmo contexto, o advogado afirmou que o padre, em momento algum, quis que os fiéis se sentissem cobrados, pois o propósito da carta tinha como objetivo alertar os frequentadores sobre a importância de ser dizimista, conforme a interpretação bíblica feita pela Igreja Católica.

 

“A contribuição do dízimo é bíblico e, de acordo com o texto presente em Malaquias Cap. 3, Vers. 10, é uma forma dos fiéis serem abençoados através dos propósitos feitos com Deus. Desde já, fica esclarecido que, grande parte das contribuições/dízimos dos fiéis, são utilizadas para manutenção de projetos sociais, os quais beneficiam toda a comunidade Fatimense”, acrescentou o advogado que representa o pároco da cidade paranaense.

 

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS