Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 20/01/2020

Filha de Edir Macedo deixa clima tenso nos bastidores da Record TV

Daniel César
Na Telinha – UOL

 

Filha de Edir Macedo e manda chuva da dramaturgia da Record, Cristiane Cardoso vem irritando cada vez mais os profissionais das novelas da emissora.

 

Além de mudar destinos de personagens escritos pelos autores de Amor Sem Igual e Gênesis, o próximo folhetim da Record, a profissional ordena regravações de cenas finalizadas e opina até nos figurinos das produções.

 

Segundo fontes do NaTelinha ligadas ao canal, Amor Sem Igual é a nova vítima das alterações impostas por Cristiane Cardoso. Embora não reconheça publicamente, Cristianne Fridman, autora da novela, estaria cada vez mais incomodada com as mudanças exigidas pela filha do patrão no roteiro da trama.

 

Núcleos em que a novelista apostava alto estariam sofrendo uma redução no espaço da história a mando da diretora de dramaturgia, que é casada com Renato Cardoso, atual todo-poderoso da Igreja Universal do Reino de Deus.

 

Além disso, nomes importantes do elenco da novela também estão reclamando nos bastidores. A reportagem conversou com um ator de Amor Sem Igual e, sob a condição de sigilo, ele explicou que o maior incômodo é com a necessidade de regravar cenas.

 

Segundo ele, Cris tem assistido aos capítulos gravados da trama e pedindo para que sequências inteiras sejam refeitas, com alterações que o elenco tem considerado irrelevantes, como por exemplo, mudanças de figurino.

 

De acordo com relatos ouvidos, algumas ordens de Cardoso são curiosas, como que todos se vistam de forma “decente”. Cris Cardoso teria dito que Amor Sem Igual é uma novela para a família brasileira e que não quer ofender com roupas excessivamente provocantes.

 

Não é apenas Amor Sem Igual que tem sofrido com as constantes mudanças solicitadas por Cris Cardoso. A filha de Edir Macedo também tem assistido às primeiras sequências da próxima trama bíblica do canal, Gênesis, e colocado parte do elenco de volta ao estúdio para regravar.

 

Alguns profissionais da nova produção bíblica tem ironizado a gestão de Cristiane Cardoso a comparando com o rei Saul, em menção ao jeito ditatorial que a filha do dono da Record tem tratado os funcionários. Embora seja sempre educada e solícita, a diretora estaria reclamando constantemente que a produção deve seguir normas cristãs.

 

Mesmo contrariados, a equipe envolvida na novela vem cumprindo as orientações da patroa. Vale lembrar que Gênesis mudou de autoria porque Gustavo Reiz deixou a emissora por discordar das solicitações de Cris para a sinopse. Como se não bastasse as alterações solicitadas, a filha de Edir Macedo também fez chegar ao conhecimento dos diretores de ambas as novelas que há um código de conduta para os profissionais, sejam da área técnica ou do elenco.

 

Desde que Cardoso assumiu, efetivamente, o controle do departamento de dramaturgia, em 2016, a Record vem emplacando sucessivas baixas audiências nas produções. Além disso, sem liberdade artística no desenvolvimento das tramas, a emissora paulista já perdeu diversos autores, como Renato Modesto, Carlos Lombardi, Gustavo Reiz e Vivian Oliveira.

 

“Na sinopse e nos primeiros capítulos, Aruna (Thais Melchior) é uma mocinha guerreira, voluntariosa, corajosa, à frente do seu tempo, a ponto de lutar contra os inimigos usando um disfarce que a transforma no Cavaleiro Mascarado. A supervisão artística da emissora exigiu que ela se tornasse uma mocinha frágil, desajeitada, recatada, submissa a Josué a ponto de prometer nunca mais usar seu disfarce heroico”, contou o escritor Renato Modesto ao NaTelinha, quando deixou o canal após escrever Terra Prometida, em 2016.

 

Procurada sobre a situação envolvendo Cristiane Cardoso, a Record não se pronunciou.

 

 

Fonte: Na Telinha – UOL