Versículo do dia
Portanto, grandioso és, ó Senhor Jeová, porque não há semelhante a ti, e não há outro Deus, senão tu só, segundo tudo o que temos ouvido com os nossos ouvidos.

Fisioterapia para crianças no Hospital da Mulher tem experiências ao ar livre

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Tintas, garrafas preenchidas com bolas, milho branco, glitter, cesto com lã e esponja, bolas de sabão. Esses foram os utensílios utilizados nas atividades desenvolvidas através do Projeto Florescer, oficina de psicomotricidade destinada a crianças de 0 a 8 anos que fazem fazem tratamento ambulatorial de fisioterapia no Hospital Inácia Pinto dos Santos (HIPS), o Hospital da Mulher.

 

A atividade, coordenada pela fisioterapeuta Lília Oliveira, no Parque Municipal Radialista Erivaldo Cerqueira (Parque da Lagoa), teve como tema a chegada da Primavera, estação do ano favorável para a estimulação sensorial, visual, tátil e auditiva de bebês, além de trabalhar toda a parte de psicomotricidade e habilidades motoras dos bebês.

 

“O Projeto Florescer foi criado com o objetivo de tirar as mães do ambiente hospitalar e dar estímulos diferentes para as crianças, ser algo mais divertido. O sol, os bichos, a areia, o mato, o vento, tudo é um estímulo diferente para eles”, explica a fisioterapeuta.

 

Realizada em ambiente externo, junto à natureza, na última quinta-feira, 14, o projeto também proporcionou um bate-papo entre as mães para compartilhar o desenvolvimento dos filhos e tirar possíveis dúvidas.

 

A operadora de caixa Edilza Nascimento, mãe de Amanda Bella Nascimento que nasceu prematura (4 meses), relata que a experiência ajuda bastante a entender melhor a criação dos filhos.

 

“Para minha filha foi importante porque ela teve contato com a natureza, com o verde, os animais, os sons. É sempre bom estar em outro ambiente e também trocar experiências com outras mães”.

 

As habilidades motoras, a coordenação do bebê e o equilíbrio foram trabalhados durante a oficina – tendo como auxílio objetos com texturas diferentes, coloridos e sons – para estimular o desenvolvimento das crianças. Um passeio ao longo do parque, em contato com animais, também esteve entre as atividades.

 

Para Maíra Ferreira, mãe das gêmeas Kauanny Vitória e Kalleany Vitória (ambas prematuras de 3 meses), afirmou que o Projeto Florescer, além de estimular as filhas, oportunizou conhecer o espaço de lazer público.

 

“É importante porque a gente sai do ambiente hospitalar, das salas fechadas, da agitação, e entra em contato com a natureza. É um grande estímulo para minhas filhas, ainda mais que eles conheceram o parque pela primeira vez”.

 

A presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana, Gilberte Lucas, pontua sobre a importância do projeto para as mães que recebem acompanhamento no Hospital da Mulher.

 

“É um projeto extra, fora da unidade hospitalar, que envolve a parte motora das crianças com a realização de atividades lúdicas com a equipe do setor de Fisioterapia da unidade de saúde, afirma a gestora.

OUTRAS NOTÍCIAS