Flamengo é processado por não usar número 24 na Copinha

Foto: Paula Reis / Flamengo

O Clube de Regatas do Flamengo está sendo processado por um grupo LGBTQIA+ por não usar a camisa de número 24 na Copa São Paulo de Futebol Jr. Na ação, a organização Arco-Íris pede R$ 1 milhão por danos morais. Eles alegam “reiteradas condutas em violação de direitos humanos, em especial homofobia e discriminação de origem” por parte do clube rubro-negro.

Para o grupo, o time carioca praticou homofobia por não usar a numeração, que é associada de forma pejorativa aos LGBTs, na Copinha em 2022. O caso tramita na 21ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio.

A questão com o número 24 começou no jogo do bicho. Na prática, considerada ilegal no Brasil, a numeração é representada pelo veado.

No processo, o Arco-Íris também cita o uso do Flamengo para fins políticos. Como exemplo, é mencionado o encontro do elenco rubro-negro com o ex-presidente Jair Bolsonaro, em 2022, após o time vencer pela terceira vez a Copa Libertadores. Os jogadores se encontraram com o então chefe do Executivo ao desembarcar no Rio de Janeiro.

Pleno News

OUTRAS NOTÍCIAS