Esportes

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 27/05/2019

Gilberto desencanta, marca dois, e Bahia vence mais uma em casa

Roger Machado e Fernando Diniz são dois treinadores que prezam por um futebol bem jogado e foi o que entregaram. Logo com vinte minutos a partida já registrava dois gols, um para cada lado. O que se viu em campo foram duas equipes que buscaram jogar a todo momento e no final das contas o Bahia se deu melhor: venceu por 3×2 e segue 100% dentro da Fonte Nova.

 

Os gols da partida foram marcados por Artur e Gilberto, para o Bahia. O Fluminense marcou com Pedro, de pênalti, e João Pedro, já na segunda etapa. O camisa 9 do Esquadrão foi o destaque do jogo com uma assistência e dois gols – que tirou o atacante da seca que já durava quase 400 minutos. O resultado alçou o Bahia ao 8º lugar, com 10 pontos somados.

 

O Fluminense começou do jeito que gosta: trocando passes e valorizando o máximo que podia da posse de bola. O Bahia respondeu subindo a pressão e marcando no campo adversário. Logo com um minuto, quase conseguiu um bom prêmio pela ousadia quando Ramires bateu a carteira do goleiro Agenor, mas faltou sorte: a bola correu para linha de fundo, saindo em tiro de meta.

 

Eram 11 minutos e o Fluminense tinha 72% de posse de bola. Do outro lado, o Bahia fechava espaços e buscava ser o mais vertical possível para puxar os contra-ataques. A disputa por espaços era muito intensa e reduziu a efetividade das duas equipes: a primeira finalização só veio aos 14 minutos quando Yony González bateu cruzado na esquerda e ganhou o escanteio que seria bom para o tricolor… baiano.

 

Isso porque a zaga cortou o cruzamento, Ramires fez o balão e Artur brigou pela bola antes de tocar para Gilberto. O centroavante recebeu a bola antes do meio-campo, arrancou com muita velocidade e tocou para Artur, que dominou e bateu sem chances. Contra-ataque de manual e Bahia 1×0. No lance, Artur correu um total de 66 metros até a finalização.

 

Nem deu tempo de comemorar. Logo depois o Flu partiu para o ataque e foi premiado com um pênalti bobo cometido por Nino Paraíba. Pedro foi para a cobrança e bateu bem. Era o empate do Flu e o jogo já registrava dois gols em 20 minutos.

 

O Bahia seguiu a estratégia à risca e conseguiu a virada. Foram duas tentativas até Gilberto conseguir aproveitar um vacilo da defesa carioca. Primeiro, Nino recuou a bola para Agenor e o camisa 9 abafou – mas o goleiro conseguiu dar um chutão pra lateral.

 

Segundo tempo

 

Logo na volta do intervalo, Fernando Diniz colocou Ganso em campo. Com a alteração, o treinador tinha dois objetivos: primeiro, encostar João Pedro na área. No primeiro tempo, o novo prodígio do Fluminense jogou aberto pela ponta e não foi bem. Por fim, teria um armador mais especialista para municiar o ataque, que no primeiro tempo só chutou um bola no alvo: justamente o pênalti convertido por Pedro.

 

Contudo, quem chegou perto do gol foi o Bahia. E com auxílio do VAR. Em um duelo entre Gilbertos, o do Flu colocou o braço na bola e a arbitragem assinalou pênalti. O Gilberto do Bahia pegou a bola, Agenor esperou até o último momento e conseguiu se redimir perante seu algoz.

 

A noite não era de Agenor. O goleiro se adiantou na cobrança e o juiz mandou voltou. Pela nova regra, se adiantar com dois passos é motivo de cartão amarelo. Para Agenor, o segundo. E ele acabou expulso. E aí foi a hora de Gilberto se redimir: na segunda tentativa, colocou no fundo da rede para ampliar o placar.

 

O Fluminense não se abateu e foi pra cima até conseguir diminuir. Moisés fez falta, que Ganso cobrou rasteira. Douglas bateu roupa e no rebote João Pedro, de 17 anos, fez o seu oitavo gol na temporada. O final prometia ser eletrizante.

 

O Fluminense pressionou até o final, mas não conseguiu. O dia era do tricolor, mais uma vez, na Fonte Nova. O próximo compromisso do Bahia é na próxima quarta-feira (29), contra o São Paulo, pela Copa do Brasil.

 

*com supervisão do subeditor Ivan Dias Marques

 
Correio