Versículo do dia
Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, todavia, eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação.

Google supera Petrobras como “emprego dos sonhos”

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

a Com escritórios descontraídos e a promessa de unir trabalho e diversão, a Google é a empresa mais desejada por jovens brasileiros. A companhia ficou em primeiro no ranking da 13ª edição da pesquisa Empresa dos Sonhos, da consultoria Cia de Talentos, que entrevistou 52 mil jovens entre 17 e 26 anos. Em segundo lugar, ficou a estatal Petrobras, primeira nos dois anos anteriores. As duas empresas disputam a liderança desde 2008.

 

Dos jovens que sonham em trabalhar na Google, 29% justificaram sua escolha em função das possibilidades internacionais que a companhia oferece. Já entre 40% dos que desejam entrar na Petrobras, a estabilidade é o maior atrativo.

 

Para Janaina Ferreira, especialista em Gestão de Pessoas do Ibmec/RJ, essas companhias representam dois perfis diferentes no mercado. “A Google oferece ambientes criativos, autonomia e boa liderança, enquanto a Petrobras é mais conservadora, apresenta estabilidade, horário razoavelmente fixo e metas menos desafiadoras. Há jovens com perfis que se encaixam melhor em uma ou em outra”, avalia.

 

Mas, apesar do clima descontraído de empresas na área de tecnologia como a Google, o jovem deve ter em mente que, muitas vezes, as exigências são maiores. “Essas empresas criam boas condições para que os funcionários se divirtam, têm bons salários e diversos atrativos, mas é preciso ter adrenalina. Há muita ralação nesses lugares. O horário de trabalho é flexível, mas as pessoas chegam a trabalhar 14 horas por dia e às vezes não têm fim de semana”, alerta a especialista.

 

Em terceiro lugar na pesquisa está a Odebretch, seguida pelo Banco Itaú, Vale, PwC, Nestlé, Apple, P&G e Ambev. É a primeira vez que Apple e P&G aparecem no ranking. “A Ambev é uma das queridinhas dos jovens atualmente e, com a Apple, é a cara da geração Y, por oferecer autonomia”, diz Janaina Ferreira.

 

O estudo da Cia de Talentos mostra ainda que a quantidade de jovens que sonham trabalhar em uma companhia específica vem diminuindo. Era de 77% em 2012, passou para 60% em 2013 e agora está em 58%.

 

Tribuna da Bahia

OUTRAS NOTÍCIAS