Versículo do dia
Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.

Governo esclarece nota da APLB sobre saneamento em escolas

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

2082014201047A secretária de Educação de Feira de Santana, Jayana Ribeiro, está esclarecendo, à APLB, sobre a situação de três escolas da rede municipal que enfrenta problemas de saneamento, quadro que preocupa a entidade de classe dos professores e também ao Governo.

 
O diretor do Departamento de Engenharia da Prefeitura de Feira de Santana, José Braga Neto, visitou nesta quarta-feira, 20, a Escola Célida Soares, no bairro Rua Nova. Detectou que o problema de saneamento nesta unidade de ensino é provocado pela ausência de esgotamento sanitário em algumas ruas próximas. A caixa de esgoto da escola transborda, justamente, por receber canalização direta e indevida.

 

O prefeito José Ronaldo afirma que vai manter contato com a Embasa sobre o assunto. “Infelizmente, embora essas ruas estejam a cerca de apenas 200 metros da sede da Embasa, nesta cidade, a companhia não realizou obras de esgotamento nesses locais”.

 

“A Prefeitura Municipal fará, nesta quinta-feira, mais uma notificação à Embasa, solicitando medidas urgentes para instalação da rede de esgotamento dessas ruas, o que solucionaria não apenas o problema da escola, mas de toda a comunidade”, disse ele. Enquanto a empresa não fizer a parte dela, a Prefeitura continuará realizando ações emergenciais para minimizar o problema.

 

O quadro da Escola José Martins Rios, que é localizada na mesma região e é afetada da mesma forma, também tem como motivo a falta de esgotamento sanitário e, igualmente, será alvo de nova notificação do Município à empresa estadual responsável.

 
Quanto a Escola Luciano Ribeiro, localizada no bairro Lagoa do Subaé, esta unidade se encontra em uma área de intensa umidade, de acordo com a secretária. O Governo alugou um imóvel na região para funcionar provisoriamente a unidade, e a transferência de alunos deve acontecer nos próximos dias. O prédio da escola vai passar por uma grande reforma. Está faltando apenas a finalização do projeto. “É importante frisar que uma reforma foi feita ali em dezembro de 2012, ainda no governo passado, o que, pelo visto, não solucionou o problema”, observa Jayana.

 

 

Secom

OUTRAS NOTÍCIAS