Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 24/09/2018

Grupo de médicos faz juramento contra o aborto e publica vídeo “comprometidos com a vida”

A discussão sobre a possível descriminalização e legalização do aborto no Brasil continua rendendo manifestações contrárias ao assassinato de bebês no ventre materno, independentemente do período gestacional, uma vez que diversos profissionais defendem a definição de ser humano desde a concepção.

 

Uma dessas manifestações que mais vêm chamando atenção é a de um grupo de médicos “comprometidos com a vida em qualquer estágio”. A definição dos profissionais deixa evidente a compreensão de que a vida humana, de fato, não é diminuída em valor (e direitos) simplesmente por estar em um estágio primário de desenvolvimento.

 

Ou seja, “embrião”, “feto” e “bebê” são vistos como nada menos do que vidas em desenvolvimento e seres humanos por definição, diferente do que os defensores do aborto tentam fazer pensar, por exemplo, ao enfatizar a palavra “feto” como forma de despersonificar a figura humana do bebê.

 

Na prática, para esse grupo de médicos o aborto praticado contra um bebê de 8 meses não é diferente de um praticado contra um “feto” de 14 semanas, visto que ambos são seres humanos, estando apenas em estágios diferentes de desenvolvimento físico.

 

Juramento em defesa da vida

 

Os profissionais gravaram um vídeo e publicaram nas redes sociais, onde eles se baseiam no juramento de Hipócrates, o qual foi adotado pela medicina moderna e é dito nas cerimônias de formatura do médico.

 

“Em toda casa aí entrarei, para o bem dos doentes, sobre aquilo que vir e ouvir respeitante a vida dos doentes”, diz um trecho, onde eles dizem no vídeo claramente não contribuir com o aborto sob nenhuma hipótese:

 

“De exercício da minha profissão ou fora dela eu conservarei inteiramente secreto. Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento. Nunca para causar dano ou mal alguém. A ninguém darei droga mortífera, nem aconselharei. Do mesmo modo, não darei a nenhuma mulher substância abortiva”.

O posicionamento desses profissionais demonstra o quanto o tema aborto no Brasil é rejeitado pela maioria da população, inclusive dos especialistas envolvidos diretamente com o assunto, no caso, os obstetras. Assista o vídeo completo abaixo:

 
Gospel +