Versículo do dia
Nisto está o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados.

‘Honrei a Deus’, diz motoboy que foi humilhado

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Um caso que chamou atenção nesse fim de semana no Brasil foi o do Matheus Pires, o motoboy, 19 anos, que foi humilhado por um homem após fazer uma entrega em um codomínio de casas, em Valinhos (SP). O caso aconteceu no dia 31 de julho. Mas o vídeo ganhou repercussão três dias depois.

Mateus concedeu entrevista ao Domingo Espetacular, na Record neste domingo, 4. E contou como iniciou a confusão. E disse ainda que aprendeu com Deus a manter a calma quando acontece situações como essa. Jovem disse isso é uma forma de honrar a Deus.

O caso está sendo investigado como injúria racial, pelo fato do morador sugerir que o entregador teria “inveja” de sua cor da pele. Boa parte da cena foi registrada em vídeo por outro morador do condomínio.

As ofensas
Segundo o jovem, as ofensas teriam começado porque quando ele chegou ao condomínio com a entrega, o morador pediu que ele entrasse e fosse até à porta de sua casa. Mas o entregador explicou que não podia entrar o pedido teria de ser retirado na portaria.

“Foi um baque, né? A gente nunca imagina que a pessoa vai tomar uma atitude de te ofender daquela maneira. Foi um sentimento realmente de humilhação, porque ele estava me humilhando e humilhando o meu trabalho”, contou Matheus ao Domingo Espetacular.

Matheus também relatou que antes da cena começar a ser filmada, muitas ofensas foram feitas. “Antes dessa pessoa começar a gravar, ele olhou para mim, desceu o olho e viu que o meu sapato estava furado. Aí ele falou assim: ‘Olha o seu sapato, está furado’, insinuando que pelo fato do meu sapato estar furado, eu era uma pessoa rebaixada. Mas aquele sapato foi a minha mãe que deu, então tinha uma importância para mim. Ele me cuspiu antes de começarem a gravar, me jogou a notinha do restaurante, falando que eu era macaco, fez gestos imitando macaco, batendo no peito”, disse.

Princípios de fé
Matheus foi questionado sobre o que o fez manter a calma naquele momento. Ele disse que a educação e os princípios de fé que recebeu da família o fizeram perceber que agir com mansidão faz a diferença.

“Eu tive uma educação religiosa muito forte e isso me ajudou a me preparar para situações assim, e saber que infelizmente, no mundo que a gente vive, a gente passa por situações de preconceito, de injúria, mas que a gente pode mudar por meio da nossa atitude de mansidão”, destacou.

“Ele cometeu um crime contra mim e contra muitos brasileiros, que tomaram essa dor. Eu estou tomando todas as medidas que sejam possíveis para ele cumprir perante a lei. Mas como ser humano, eu agi daquela forma por saber que eu ia poder e já pude perdoar ele”, acrescentou.

Pronunciamento

O presidente Jair Bolsonaro escreveu a seguinte nota em uma rede social. “Independentemente das circunstâncias que levaram ao ocorrido, atitudes como esta devem ser totalmente repudiadas. A miscigenação é uma marca do Brasil. Ninguém é melhor do que ninguém por conta de sua cor, crença, classe social ou opção sexual. Que a indignação dos brasileiros sirva de lição para que atos como esse não se repitam. Todos somos iguais! Embora alguns trabalhem para nos dividir, somos um só povo!

Fonte: Revista Comunhão online

OUTRAS NOTÍCIAS