Versículo do dia
Aquele que anda em sinceridade, e pratica a justiça, e fala verazmente segundo o seu coração; aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhuma afronta contra o seu próximo.

Hospital da Mulher: Fisioterapia diminui tempo de internamento de prematuros

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

O serviço de fisioterapia neonatal e pediátrica, oferecido pelo Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, tem alcançado resultados positivos no desenvolvimento de recém-nascidos e crianças. Atualmente, no Complexo Materno Infantil, recebem esse acompanhamento 124 pacientes.

Desse total, 96 estão sendo prestados no ambulatório, 12 atendimentos a crianças internadas no Mãe Canguru, nove na Unidade de Tratamento Intensivo Pediátrico e Neonatal e mais sete acompanhamentos na unidade destinada a recém-nascidos de médio risco e que precisam de atenção contínua após o nascimento.

Os atendimentos são realizados diariamente na UTI Neonatal e no ambulatório da unidade hospitalar pela equipe de fisioterapeutas, que é composta por 15 profissionais. É por ordem de chegada e funciona das 8h às 12h e das 14h às 18h.

“O serviço de fisioterapia ofertado às crianças que nascem no Hospital da Mulher é de fundamental importância, alcançando resultados positivos e imediatos para o desenvolvimento das crianças, principalmente os recém-nascidos”, afirmou a diretora presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS), Gilberte Lucas.

De acordo com o coordenador da equipe de fisioterapia do Hospital da Mulher, André Neves, a fisioterapia contribui para diminuir o tempo de internamento de prematuros.

“Realizamos o atendimento em prematuros e demais crianças com indicações médicas para essa especialidade até completar 1 ano. Conforme a patologia, após alta médica, o paciente é indicado para acompanhamento em outra unidade especializada”, diz.

QUALIDADE DE VIDA

O coordenador destaca as técnicas e métodos utilizados no tratamento: “Fazemos todo o manejo do oxigênio com o acompanhamento fisioterapêutico, proporcionando uma estabilidade de variáveis hemodinâmicas, como a frequência cardíaca, a manutenção funcional da circulação cerebral com o estímulo de técnicas de posicionamento do recém-nascido e a manutenção adequada da ventilação pulmonar, tudo de acordo com o tempo de vida da criança”, afirma.

André Neves destaca ainda que a fisioterapia é fundamental para a qualidade de vida dos prematuras e de crianças que nascem com outras patologias.

“Nos bebês prematuros, além da fisioterapia respiratória, também é realizado exercícios dos membros superiores e inferiores, auxiliando no ganho de massa óssea e, consequentemente, no ganho de peso, agilizando a alta hospitalar e contribuindo para o desenvolvimento neuropsicomotor”, enfatiza.

De janeiro a 24 de setembro, no ambulatório do Hospital da Mulher, foram realizados 759 atendimentos de fisioterapia pediátrica, sendo acompanhados pelo serviço cinco pacientes que precisam de tratamento contínuo, a exemplo das crianças que nascem com síndrome de down, quatro crianças com asfixia neonatal, três que nasceram com torcicolo congênito, entre outros diagnósticos que requer acompanhamento do fisioterapeuta pediátrico. Informações sobre o serviço de fisioterapia neonatal e pediátrica através do número (75) 3602-7125.

Secom

 

OUTRAS NOTÍCIAS