Versículo do dia
E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram, para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas que de tudo o que sai da boca do Senhor viverá o homem.

Hospital da Mulher vai tratar dos cuidados com os prematuros

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

13112015112800Os cuidados com os bebês prematuros e a qualidade do atendimento às mães estarão em destaque nos dias 16 e 17 de novembro no Hospital Inácia Pinto dos Santos – Hospital da Mulher. Com iniciativa da Fundação Hospitalar, o Dia Mundial da Prematuridade terá palestras, exposição fotográfica e atividades com pacientes e profissionais de saúde.

 

O primeiro encontro, no dia 16, começará às 9h, com café da manhã. Às 14h a psicóloga Tatyane Varjão vai abordar relatos de experiências da prática de profissionais da UTI Neo Natal com familiares de recém-nascidos prematuros.

 

O dia 17 será destinado a palestras, a partir das 9h. A primeira será com a psicóloga Lorena Vieira, com o tema “O bebê não existe sozinho”. A fonoaudióloga Acássia Lima vai tratar dos “cuidados com o ouvido dos prematuros”. Para finalizar o ciclo de palestras, a fisioterapeuta Michelle Versalli aborda o tema “Particularidades do recém-nascido prematuro”.

 

Uma oficina será realizada com as mães de bebês prematuros que participam do programa Mãe Canguru. Para encerrar a programação uma exposição de fotografias vai retratar a realidade vivida no dia a dia das UTIs Neonatais. A exposição será na área do atendimento de emergência do Hospital da Mulher.

 

“Serão dois dias para refletir sobre a qualidade da humanização e atendimento para os bebês prematuros, as mães e os familiares. Alertar também sobre esse crescente número de partos prematuros e fazer a prevenção”, destaca a diretora-presidente da Fundação Hospitalar, Gilberte Lucas.

 

Para o médico pediatra Murilo Pinheiro, o aumento no número de partos prematuros acontece devido a diversos fatores. “Problemas de saúde, mães muito jovens ou mães com idade muito avançada. Geralmente esses fatores contribuem para que haja partos prematuros”, explica.

 

Secom

OUTRAS NOTÍCIAS