Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 20/05/2019

Igreja batista reabre templo após massacre que matou dezenas de fiéis

Uma igreja do sul do Texas, nos EUA, iniciou um novo culto de adoração neste domingo ao revelar um novo templo um ano e meio depois que um atirador abriu fogo e matou quase 30 fiéis na mais mortífera matança da história do estado americano do Texas.

 

Membros, líderes eleitos e parentes dos mortos ou feridos na Primeira Igreja Batista na pequena cidade de Sutherland Springs, se reuniram no novo santuário.

 

Algumas entre as centenas de participantes usavam camisetas azuis com a frase “#evildidnotwin” (“o mal não vencerá”, em tradução livre) escritas nas costas.

 

No grande santuário branco, em meio a um painel de vitrais, o pastor Frank Pomeroy disse à multidão que estavam celebrando a glória de Deus, lembrando-se “daqueles que se foram.

 

A igreja homenageou as vítimas lendo seus nomes quando o sino da igreja tocou, e os que tinham alguma ligação com elas se levantaram na multidão. A filha de 14 anos de Pomeroy, Annabelle Pomeroy, estava entre os mortos.

 

O governador republicano Greg Abbott disse aos fiéis que, apesar do tempo difícil desde o ataque, o domingo marcou outro grande passo à frente no caminho da cura e da recuperação.

 

“Este é um sinal tangível como as pessoas dirigem através de Sutherland Springs, no futuro, eles vão saber que este é um lugar onde a bondade triunfou sobre o mal”, disse Abbott sob aplausos da multidão.

 

O novo centro de adoração e a sala do memorial, que homenageiam as vítimas, foram possíveis graças a milhões de dólares em doações de todo o mundo. As instalações apresentam elementos de segurança aprimorados, juntamente com uma nova torre de sino da igreja e um espaço de oração adicional.

 

Massacre

 

Um atirador matou 26 pessoas na igreja em 5 de novembro de 2017 . As autoridades registraram o número oficial de mortos em 27, porque uma das vítimas estava grávida.

 

Locais de culto têm enfrentado ataques direcionados por extremistas. Um tiroteio em uma sinagoga da Califórnia em abril deixou um adorador morto e feriu outros três, e um supremacista branco matou 51 pessoas em uma mesquita da Nova Zelândia em março.

 

Kevin Smith, diretor do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos e Parcerias de Vizinhança, disse que a agência está trabalhando com locais de culto em todo o país para ajudá-los a tomar as medidas necessárias para proteger suas instalações e se preparar para possíveis ameaças.

 

Smith disse que os recentes ataques despertaram muitos líderes religiosos em todo o país para agir e buscar mais orientação. Ele disse que os locais de culto precisam avaliar possíveis ameaças em sua área, trabalhar com a polícia local e capacitar seus fiéis para fazer parte do processo de planejamento.

 

“Queremos ter certeza que, durante essa conscientização, vamos pegar o que foi feito para o mal e torná-lo bom, fornecendo as ferramentas que ajudam e capacitando o restante das igrejas em todo o país para estarem prontas”, disse Smith.

 

O pastor Pomeroy se recusou a comentar sobre a segurança reforçada da igreja, mas disse que agora tem uma “equipe de resposta de segurança” composta de adoradores voluntários que estão passando por extensos treinamentos mensais e, às vezes, semanais.

 

“Não queremos parecer uma fortaleza, mas também queríamos ter certeza de que todos se sentiriam seguros por dentro”, disse Pomeroy.

 

 

Folha Gospel com informações de CBN News