Índios da Tribo Xavante são alcançados pelo Evangelho em trabalho evangelístico

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Um trabalho evangelístico realizado pela Igreja Universal do Reino de Deus tem alcançado vidas em algumas das regiões mais remotas do Brasil, no estado de Mato Grosso. Por essa iniciativa, índios da Tribo Xavante conheceram o Evangelho de Cristo e estão se rendendo a Deus.

“Os oprimidos pelo diabo estão em toda parte. Diante disso, precisamos assumir a condição de servos e executar o que o Senhor Jesus nos determinou fazer”, afirmou o bispo Edir Macedo em certa ocasião, ilustrando a necessidade de evangelização dos povos tribais, segundo a Universal.

Apenas no estado de Mato Grosso cerca de 40 tribos indígenas são alvos do trabalho evangelístico, tais como Aldeia Rio Maria, Aldeia Campinas, Aldeia Serrinha, Aldeia Matrinchã, Aldeia Córrego do Pato, Aldeia Chão Preto, Aldeia Jerusalém, Aldeia Santa Helena, Aldeia Buritizal e Aldeia Estrela, entre outras.

O responsável pelo trabalho evangelístico na região é o pastor Adão dos Santos Silva, que precisa se deslocar regularmente até os locais das tribos para dar continuidade ao projeto missionário.

“Semanalmente, saio da cidade de Barra do Garças e vou até as aldeias, percorrendo mais de 600 quilômetros. Apesar da distância, é muito gratificante”, afirmou o pastor, ressaltando a boa receptividade dos índios acerca da ação.

“É um povo de muita fé. Aceitam o Senhor Jesus como Salvador com muita alegria. Hoje, são em torno de mil batizados e mais de dois mil evangelizados”, conclui Adão.

Crescimento

Segundo dados do Instituto Data Folha revelados em 2018, houve um crescimento de 38% do número de índios evangélicos no Brasil, isso graças ao trabalho evangelístico realizado diretamente nas tribos.

Os cristãos se pautam na própria Bíblia Sagrada para realizar tais ações, especificamente no livro de Marcos 16:15-16, onde está escrito: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”.

Entrevistado pelo jornal Folha de S. Paulo em 2018, o pastor Juliano Modolo explicou que o evangelismo é um benefício não apenas espiritual para os índios, mas também social, já que a maioria das tribos atualmente já mantém contato com a cultura secular, inclusive absorvendo costumes nocivos, como a dependência química.

“Na cultura indígena, o Evangelho vem para valorizar a pessoa, tirar coisas que entraram de fora como o álcool e as drogas e reforçar a cultura inicial, que é de uma família bem estabelecida”, disse o pastor. Assista:

Gospel +

OUTRAS NOTÍCIAS