Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 13/11/2019

Intercâmbio de cartas entre estudantes de Feira e Serra Preta amplia diálogo sobre a comunicação social

Estudantes das turmas de 6º ano da Escola Municipal Chico Mendes, mantida pela Prefeitura no bairro Campo Limpo, trocaram correspondências em pleno 2019. Isto mesmo! A ideia da escola foi promover o intercâmbio entre os estudantes de duas escolas – a da Rede Municipal de Educação de Feira de Santana e os da Escola Municipal Cipriano Soares de Lima, localizada no povoado Lagoa da Caiçara, de Serra Preta. No último sábado, 9, os alunos se encontraram durante a culminância do projeto, que aconteceu na Escola Chico Mendes.

 

Intitulado “Cartas e e-mails: encurtando distâncias”, o projeto foi idealizado pela professora Vanuzia Batista Santos, da área de Linguagens, que decidiu apresentar aos alunos outros recursos da comunicação. “Eles cresceram com a tecnologia, então só conhecem os recursos do meio eletrônico”, contextualiza a professora.

 

“O gênero textual carta, nos dias atuais, não é tão difundido, mas a escola pode oportunizar o uso deste recurso, que também acaba promovendo o encontro entre pessoas, incentiva a escrita e a contação de histórias”, argumenta Vanuzia Santos. Na avaliação dela, o projeto resgata o gênero e deu a chance aos alunos de conhecerem outros estudantes da mesma faixa etária, criando o vínculo de amizade.

 

Durante dois meses, os alunos trocaram experiências através das correspondências, tiveram a chance de escrever, de conhecer o outro e ainda novas realidades ao trocar informações com os colegas da outra cidade. “Além do mais, ao conhecer a carta, eles perceberam que a comunicação social é bem mais ampla. Que o contato virtual e as ferramentas digitais ou eletrônicas são apenas uma tipologia da comunicação, no caso, a mais modernas”, avalia.

 

Para a gestora da Escola Municipal Chico Mendes, Laís Alcântara, iniciativas como esta, estimuladas pelo Governo do prefeito Colbert Martins Filho, valorizam o estudante e o papel da escola pública, “que torna-se ainda mais plural e atualizada”.

 

Secom