Isadora Pompeo fala sobre o fim de seu casamento: “Precisei encarar muitos ciúmes, preconceito, machismo”

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp
Foto- Rede social

Nesta terça-feira (1º), a cantora Isadora Pompeo usou as redes sociais para falar novamente sobre o fim de seu casamento com Thiago Maia, volante do Flamengo. Por meio de um vídeo, ela compartilhou o motivo do término da união com o atleta.

– Estou aqui porque quero contar o motivo do meu silêncio, da minha ausência por aqui. Vocês presenciaram isso e, sim, eu precisei de uns dias perto da minha família, [de] amigos, e precisei permanecer em oração para pensar, descansar e tentar compreender tudo o que aconteceu na minha vida nesses últimos meses. Não foi fácil, mas estou aqui e eu entendi que não teria sentido eu guardar só para mim o que poderia ser dividido com vocês, que sempre demonstraram tanto amor, tanto respeito e tanto carinho por mim. Isso aqui, estou fazendo não só para amenizar a minha dor, mas também para ajudar outras mulheres a superar momentos de dor parecidos com o meu. Como vocês sabem, eu me apaixonei, namorei, casei e eu estava feliz, esperançosa e transbordando de amor. Mas, infelizmente, as coisas mudaram de forma repentina e pegaram a mim e a todos os que me acompanhavam de surpresa. No início, era tudo maravilhoso: cumplicidade, parceria. Mas, depois de casada, eu vivi situações que hoje eu sei o quanto são comuns para milhões de mulheres no Brasil e no mundo, e não só mulheres, mas pessoas em geral que sofrem com isso. Eu precisei encarar muitos ciúmes, preconceito, machismo e uma tentativa permanente de controle sobre mim. A Palavra de Deus diz que o amor não arde em ciúmes, não se ensoberbece, ele não se irrita facilmente e, muito pelo contrário, tudo crê, tudo espera e tudo suporta. Eu achava que o que estava acontecendo era amor com medo de perder, mas hoje eu sei que não era. Porque para amar alguém a gente não precisa diminuir ninguém. Não foi isso que Cristo nos ensinou, não foi isso que Cristo disse à Igreja.

Isadora afirmou ainda que tinha se casado “para sempre” e que tem como referência a história de vida de seus pais. Porém, ela lembrou que passou por situações humilhantes na relação com o ex-marido.

– Fui criada sim para crer em Deus e no amor. (…) Mesmo passando por algumas situações humilhantes, eu insisti, tentei de tudo para a gente continuar junto, e descobri que o meu amor seguia gigante, mas era incapaz de amar por nós dois. (…) Hoje, eu me deparo com várias situações, principalmente, tristeza, muitas mentiras, boatos e fofocas, que tentaram destruir a minha vida. Chegou a sair na imprensa que eu teria traído o Thiago, o que é uma mentira [e] mais um sinal de violência, preconceito, que nós mulheres ainda passamos. Eu tenho 22 anos, mas sei muito bem que uma mentira machuca tanto quanto um tapa.

Ela encerrou o vídeo com uma palavra de esperança e disse representar outras pessoas, que enfrentam o mesmo tipo de problema.

É isso. Eu peço desculpa pelo meu posicionamento, pelo meu desabafo, mas eu me sinto mais leve. Eu não falo só por mim, eu falo por milhares de pessoas, milhares de mulheres, Isadoras, Marias, Carolinas, Fabianas, brasileiras que não têm a possibilidade de ser ouvidas. Quero deixar claro que eu acredito no amor, no amor de Deus por nós e na alegria que vem pela manhã. O choro dura uma noite, mas a alegria vem pela manhã.

Isadora Pompeo fala sobre o fim de seu casamento: “Precisei encarar muitos ciúmes, preconceito, machismo”

Nesta terça-feira (1º), a cantora Isadora Pompeo usou as redes sociais para falar novamente sobre o fim de seu casamento com Thiago Maia, volante do Flamengo. Por meio de um vídeo, ela compartilhou o motivo do término da união com o atleta.

– Estou aqui porque quero contar o motivo do meu silêncio, da minha ausência por aqui. Vocês presenciaram isso e, sim, eu precisei de uns dias perto da minha família, [de] amigos, e precisei permanecer em oração para pensar, descansar e tentar compreender tudo o que aconteceu na minha vida nesses últimos meses. Não foi fácil, mas estou aqui e eu entendi que não teria sentido eu guardar só para mim o que poderia ser dividido com vocês, que sempre demonstraram tanto amor, tanto respeito e tanto carinho por mim. Isso aqui, estou fazendo não só para amenizar a minha dor, mas também para ajudar outras mulheres a superar momentos de dor parecidos com o meu. Como vocês sabem, eu me apaixonei, namorei, casei e eu estava feliz, esperançosa e transbordando de amor. Mas, infelizmente, as coisas mudaram de forma repentina e pegaram a mim e a todos os que me acompanhavam de surpresa. No início, era tudo maravilhoso: cumplicidade, parceria. Mas, depois de casada, eu vivi situações que hoje eu sei o quanto são comuns para milhões de mulheres no Brasil e no mundo, e não só mulheres, mas pessoas em geral que sofrem com isso. Eu precisei encarar muitos ciúmes, preconceito, machismo e uma tentativa permanente de controle sobre mim. A Palavra de Deus diz que o amor não arde em ciúmes, não se ensoberbece, ele não se irrita facilmente e, muito pelo contrário, tudo crê, tudo espera e tudo suporta. Eu achava que o que estava acontecendo era amor com medo de perder, mas hoje eu sei que não era. Porque para amar alguém a gente não precisa diminuir ninguém. Não foi isso que Cristo nos ensinou, não foi isso que Cristo disse à Igreja.

Isadora afirmou ainda que tinha se casado “para sempre” e que tem como referência a história de vida de seus pais. Porém, ela lembrou que passou por situações humilhantes na relação com o ex-marido.

– Fui criada sim para crer em Deus e no amor. (…) Mesmo passando por algumas situações humilhantes, eu insisti, tentei de tudo para a gente continuar junto, e descobri que o meu amor seguia gigante, mas era incapaz de amar por nós dois. (…) Hoje, eu me deparo com várias situações, principalmente, tristeza, muitas mentiras, boatos e fofocas, que tentaram destruir a minha vida. Chegou a sair na imprensa que eu teria traído o Thiago, o que é uma mentira [e] mais um sinal de violência, preconceito, que nós mulheres ainda passamos. Eu tenho 22 anos, mas sei muito bem que uma mentira machuca tanto quanto um tapa.

Ela encerrou o vídeo com uma palavra de esperança e disse representar outras pessoas, que enfrentam o mesmo tipo de problema.

É isso. Eu peço desculpa pelo meu posicionamento, pelo meu desabafo, mas eu me sinto mais leve. Eu não falo só por mim, eu falo por milhares de pessoas, milhares de mulheres, Isadoras, Marias, Carolinas, Fabianas, brasileiras que não têm a possibilidade de ser ouvidas. Quero deixar claro que eu acredito no amor, no amor de Deus por nós e na alegria que vem pela manhã. O choro dura uma noite, mas a alegria vem pela manhã.

Fonte: Pleno News

 

OUTRAS NOTÍCIAS