Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 17/04/2019

Jean Wyllys insinua que homofobia nasceu nas religiões oriundas do patriarca Abraão

O ativista LGBT e ex-deputado federal Jean Wyllys (PSOL) publicou um artigo sobre o filme Dor e Glória em que afirma que a origem da homofobia está nas religiões oriundas do patriarca Abraão, que são o judaísmo, o cristianismo e o islamismo.

 

No texto, Wyllys associa sua história de vida à de personagens do filme dirigido pelo espanhol Pedro Almodóvar e de figuras públicas influentes no meio LGBT, e afirma que o elo de ligação entre os casos são as religiões abraâmicas.

 

“A única resposta possível para a existência dessa constante — dessa repetição — no tempo e no espaço é a homofobia. Esta (sic) é um fundamento de todas as culturas nascidas das — ou influenciadas pelas — religiões abraâmicas (que remontam ao mesmo patriarca Abraão): o judaísmo, o cristianismo e o islamismo. Não é de se estranhar, portanto, que sua reprodução em diferentes línguas e instituições como a família, a igreja e a escola construam histórias e constituam sujeitos tão parecidos; que produzam males tão semelhantes e que despertem formas parecidas de resistência a ela”, afirmou.

 

A cruzada de Jean Wyllys contra a fé cristã, suas tradições e verdades conceituais não é nova. Nos anos em que atuou como parlamentar no Brasil, antes de sua renúncia ao terceiro mandato, viveu de atacar a interpretação bíblica – universal entre as diferentes denominações reconhecidas como sérias – de que a homossexualidade é um pecado que Deus abomina.

 

Para justificar o avanço da agenda progressista, Wyllys diz que “muitos não sobrevivem à homofobia”, e depois de colocar os assassinatos cometidos contra homossexuais na conta da fé (e nas diferentes religiões), o ex-deputado afirma que os gays que não se assumem publicamente “correm o risco de se metamorfosearem em pessoas horríveis que reproduzem o mal de que são vítimas”.

 

“Quando isso não acontece, ou cometem suicídio ou são assassinados precocemente, como foi o caso do menino Alex, de Rio das Pedras, cujo pai dilacerou seu fígado apenas porque o garoto de apenas oito anos de idade gostava de dança do ventre e de lavar louça. E nunca é pouco lembrar que esse episódio ocorreu quando o nosso atual presidente da República e então deputado federal dizia aberta e publicamente que homossexualidade é ‘falta de porrada’”, atacou o ex-participante do BBB.

 

Gospel +