Versículo do dia
E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto.

Jihadista promete invadir Praça de São Pedro e matar cristãos

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

downloadUma entrevista feita com um suposto soldado do Estado Islâmico pede alerta para o governo de Roma, pois os extremistas ameaçam invadir a cidade italiana e executar os católicos que assistem as missas na Praça de São Pedro.

 

“Chegaremos à Roma, à Praça de São Pedro e faremos execuções massivas de infiéis”, teria dito o soldado segundo a organização pela liberdade religiosa MasLibres.org. O jihadista teria afirmado que a lei de Alá é para que todos os infiéis sejam mortos e que “morrer por Alá é o melhor destino que uma pessoa pode escolher”.

 

O Maslibres.org garante que a entrevista foi feita há mais de um mês, mas por motivos de segurança resolveu proteger o nome do repórter que conseguiu entrevistar o terrorista.
Além das palavras de ameaça, a reportagem conseguiu imagens do membro do EI e mostrou algumas atividades realizadas por ele.

 

O terrorista foi identificado como Adam A1 N, nascido na Alemanha, filho de uma polonesa católica com um palestino procedente da Jordânia. O jovem se considera um “servidor de Deus, um crente fiel ao único Deus” e afirma que está disposto a fazer qualquer coisa por Alá.

 

“Farei qualquer coisa por Alá e, se tiver que me converter em mártir, será o melhor destino que ele escolherá para mim. Ser crente é uma aventura maravilhosa na minha vida. Tinha quinze anos quando meus olhos se abriram para ver o único Deus. Então entendi a palavra de Alá dizendo que os infiéis são piores que animais”, disse.
O jovem ainda faz uma ameaça: “Convertam-se enquanto é tempo”. Quem descumprir a ordem irá morrer, segundo ele.

 

Adam A1 N entrou para a organização terrorista em 2012 na Síria onde foi treinado e participou de assaltos e outras ações do grupo. Ele chegou a tentar voltar para a Alemanha para visitar sua mãe que estava doente, porém foi deportado à Polônia pelo Serviço Federal de Inteligência sendo acusado de terrorismo.

 

Com informações ACI Digital

OUTRAS NOTÍCIAS